CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Juiz da Vara da Infância e da Juventude chora ao falar sobre Bernardo Fernando Vieira dos Santos, 34 anos, foi o responsável por um processo envolvendo o menino

Juiz da Vara da Infância e da Juventude chora ao falar sobre Bernardo Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
carlos.wagner@zerohora.com.br 
O juiz da Vara da Infância e da Juventude do Fórum de Três Passos, Fernando Vieira dos Santos, 34 anos, chorou na tarde desta terça-feira. Há alguns meses, passou pelas mãos dele um processo movido pelo Ministério Público do município, em que o menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, fez uma reclamação contra a falta de afeto do pai, o médico Leandro Boldrini, 38 anos. 

Leia mais:
>> 
Menino de Três Passos que estava desaparecido há 10 dias é encontrado morto em Frederico Westphalen
>> Simpáticos e calmos, pai e madrasta suspeitos de matar menino chocam familiares e amigos: "inacreditável"

O garoto pediu ajuda ao Centro de Defesa da Criança e do Adolescente, órgão ligado à prefeitura, e a queixa passou pelo MP, que a transformou em um processo. A ação acabou na mesa de Santos, que intimou as partes: 

— Nesse caso, como não houve violência, por tratar-se de questão afetiva, nós apostamos na preservação dos laços familiares. Chamamos o pai e suspendemos o processo por 60 dias, esperando que houvesse reconciliação. Infelizmente, aconteceu o pior — lamenta o magistrado. 

O caso que abalou Três Passos 

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no último dia 4, uma sexta-feira, em Três Passos. De acordo com o pai, ele teria ido à tarde a Frederico Westphalen com a madrasta para comprar uma TV.
De volta a Três Passos, o menino teria dito que passaria o final de semana na casa de um amigo. Como no domingo ele não retornou, o pai acionou a polícia. Cartazes com fotos de Bernardo foram espalhados pela cidade, por Santa Maria e Passo Fundo.
Na noite desta segunda-feira, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen. O pai, Leandro Boldrini, 38 anos, a madrasta e uma terceira pessoa foram presos suspeitos de participação na morte da criança.
O pai de Bernardo, Leandro Boldrini, 38 anos, é médico e atua como cirurgião-geral no hospital do município. Ele também é proprietário da Clínica Cirúrgica Boldrini. Bernardo morava com o pai, a madrasta e uma meia-irmã, de um ano. Ele estudava no turno da manhã no Colégio Ipiranga, instituição particular.

O médico Leandro Boldrini, 38 anos, a mulher dele, Graciele Ugolini, 32 anos, e a amiga do casal, Edelvania Wirganovicz, 40 anos, ainda não definiram um advogado de defesa, segundo a irmã de Graciele, Simone Ugolini.

ASSASSINATO NO SUL

Se for comprovado o assassinato por injeção letal de Bernardo Uglioni Boldrini de 11 anos, pelo médico Leandro Boldrini, 38 anos(pai), a mulher dele, Graciele Ugolini, 32 anos(madrasta), e a amiga do casal, Edelvania Wirganovicz, 40 anos em Três Passos - RS, segundo atestado de óbito o garoto teria sido assassinado a 11 dias.

O anjo chamado Bernardo Uglioni Boldrini

Malditos - médico Leandro Boldrini, 38 anos(pai), a mulher dele a enfermeira, Graciele Ugolini, 32 anos(madrasta)
 Delatora maldita - Edelvania Wirganovicz, 40 anos

Com ajuda da amiga do casaL, Edelvania Wirganovicz(acusada), a polícia chegou até o local do crime( há 80km). E está prestes a descobriu toda trama, o que falta a gora é saber o que motivou o casal a fazer esta monstruosidade com o garoto.

Peço a DEUS e o Papa Francisco que me perdoem, pois neste momento de indignação, é que sou a favor da pena de morte no Brasil, um caso desse não merece perdão, eu não tenho o poder de perdoar ISSO!!!

Estes três supostos assassinos é imagem do satanás em figura de gente, agora a família da avó de Bernardo Uglione Boldrini, quer que a polícia reabra uma linha de investigação para saber a real causa da morte da mãe do garoto assassinado, que teria sido constatada suicídio à 4 anos no consultório do monstro Leandro Boldrini suposto assassino do próprio filho.

Isso é caso para uma investigação bem profunda, pois este garoto clamou por ajuda e ninguém deu ouvidos a ele, o garoto sofria, principalmente falta afego por parte do pai.

E muitos casos de homens e mulheres que tem filhos de outros relacionamentos e ao viverem com uma pessoa que não seja os pais, não tem o cuidado de observar o relacionamento do padrasto ou madrasta com os filhos que não são dos mesmos, já vimos muitos casos de maus tratos pelo Brasil e pelo mundo de casos como esse, é revoltante!!!

O sepultamento do garoto será hoje em Santa Maria - RS às 10h.

Mulheres estupradas devem ser enforcadas, diz político indiano

A onda de violência sexual na Índia virou pauta das eleições que são realizadas no país, porém, com declarações pesadas contra os direitos da mulher. Com seis semanas de duração, se trata do maior evento eleitoral do mundo. Na , o político Abu Azmi, do Estado de Uttar Pradesh, afirmou que as mulheres que mantenham relações sexuais fora do casamento deveriam ser enforcadas, incluindo aquelas vítimas de estupro.
mulheres indianas eleições índia
Mulheres indianas representam 48,5% do colégio eleitoral: reivindicação por mais segurança e menos violência de gênero (Efe)
“A violação é castigada com a forca no Islã. Mas aqui não acontece nada com as mulheres, somente com os homens. A mulher também é culpada”, disse Azmi, presidente do Partido Samajwadi (SP) no Estado de Maharastra, ao jornal local Mid Day. Azmi argumentou que a solução para evitar os estupros é que, se “uma mulher casada ou solteira vai (fazer sexo) com um homem, com ou sem consentimento dele, deve ser enforcada. Ambos devem ser enforcados”, continuou.
As declarações de Azmi, senador entre 2002 e 2008, aconteceram um dia após outro episódio, quando o chefe de seu partido Mulayam Singh Yadav dizer que a forca é um castigo “injusto” para os estupradores. “Os meninos cometem erros, mas isso não significa que tenham que ser enforcados”, declarou Yadav, apesar de não se opor à pena de morte como castigo para outros delitos.
Os pais de uma garota estuprada e assassinada em um ônibus na cidade de Nova Deli em dezembro de 2012 — um crime que provocou protestos e um debate sem precedentes sobre a violência contra a mulher na Índia — criticaram o político. “Seu argumento é que as mulheres não têm honra. Apelo ao público para que não vote em um líder desse tipo. Apelo às mulheres para que não votem nele”, disse o pai da moça.
“Todos os dias, mulheres são violadas e são erros? Ele fala de acabar com a pena de morte para os violadores, mas os pais, como nós, consideram que nem a morte é suficiente para os violares. Eles merecem pior”, acrescentou a mãe.
O caso levou o governo a endurecer as leis contra agressores sexuais e a estabelecer a pena de morte em caso de que a vítima faleça ou que os violadores reincidam no crime. Quatro dos estupradores da jovem foram condenados à morte e, no início de abril, três foram condenados à forca por um estupro reincidente em Bombaim.
Opera Mundi

Os 5 trabalhos mais miseráveis do mundo

Manuel Ansede, em Materia
“Uma das coisas mais tristes é que a única coisa que um homem pode fazer durante oito horas, dia após dia, é trabalhar. Não se pode comer durante oito horas, nem beber oito horas, nem fazer amor oito horas… A única coisa que se pode fazer durante oito horas é trabalhar. E esse é o motivo pelo qual o homem torna tão desgraçado e infeliz a si mesmo e os demais”, dizia o escritor norte-americano William Faulkner. É com essa reflexão que começa “Workingman’s Death” (A morte do operário), um opressivo documentário que percorre meio mundo para denunciar a existência de trabalhos miseráveis que, em sua face mais desumana, praticamente desapareceram da face dos países ricos.
O diretor do documentário, o austríaco Michael Glawogger, segue as “mulas humanas” do vulcão indonésio Kawah Ijen, os abatedores do mercado de carne de Port Harcourt (Nigéria), os desmontadores de petroleiros de Gaddani (Paquistão), os operários do metal chineses e mineiros clandestinos ucranianos para denunciar que os trabalhos mais miseráveis não desapareceram do planeta, apenas se tornaram invisíveis para os olhos dos cidadãos dos países industrializados.
“O trabalho pode ser muitas coisas. Com frequência mal é visível. Às vezes é difícil de explicar. E, em muitos casos, impossível de retratar. Mas o duro trabalho manual é visível, explicável e retratável. É por isso que com frequência penso que é o único trabalho real”, opina Glawogger, que ganhou o Prêmio Especial do Jurado no Festival de Cinema de Gijón (Espanha) por Workingman’s Death.
Conheça a seguir as atividades denunciadas no documentário. Longe de acabar, elas continuam a degradar a condição humana.
1. “Mula humana” no vulcão.
trabalho escravo mundo
Todos os dias, por algumas miseráveis moedas, dezenas de homens sobem ao vulcão indonésio Kawah Ijen para, asfixiados por fumaças tóxicas, arrancar enormes blocos de enxofre das suas entranhas. Sobem ao vulcão entre cantos e tosses, mas descem carregados como mulas, com mais de 100 quilos de mineral deformando suas costas. Numa cena do filme “Workingman’s Death”, um mineiro, possivelmente blefando, conta a outro como beijou uma mulher francesa que tinha acabado de conhecer. “Eu estava com o nariz sujo por causa dos vapores do enxofre, mas ela me deixou beijá-la. Foi muito bom.” É cada vez maior o número de turistas que vêm ao vulcão para tirar fotos ao lado das “mulas humanas”.
2. Trabalhador de matadouro numa cidade petroleira.
02
O nigeriano Isaac Mohammed levanta-se todos os dias às cinco da manhã para ir ao matadouro da sua cidade degolar cabras e vacas. Ele trabalha no mercado de carne de Port Harcourt, uma cidade do delta do rio Níger na qual convivem a pobreza extrema com a ostentação das petroleiras ocidentais, como a Shell. Durante sua jornada, os abatedores arrastam pesadas cabeças de vaca pela lama para leva-las até a fogueira, onde serão cozinhadas para venda. E, no final do dia, se não levaram uma chifrada de um zebu, muitos completam seu miserável salário com outros trabalhos, como dirigir uma moto-táxi.
3. Desmontadores de petroleiros.
03
Muitos pastunes, principal grupo étnico dos talibãs, são pobres. Por isso acabam procurando ganhar a vida em lugares como Gaddani, um porto do Paquistão convertido em cemitério de barcos gigantescos. Em Gaddani, milhares de trabalhadores desmancham cargueiros e petroleiros para convertê-los em placas de aço. “Um passo em falso e é uma queda de 80 metros. Ou te cai um pedaço de aço na cabeça. Ou o óleo e os gases residuais te incendeiam. Temos a morte sempre presente”, explica um trabalhador em “Workingman’s Death”. Eles trabalham durante um ano e depois, com sorte, poderão voltar durante um mês para suas casas. “O pagamento nunca foi suficiente, nem antes nem agora”, lamenta um homem que trabalha no desmanche desde 1991. “Alá nos encomendou essa tarefa”, proclama outro.
4. Metalúrgico na China.
04
A província de Liaoning, no nordeste da China, acolhe alguns dos maiores altos fornos do país e do mundo. Enquanto a Alemanha converte algumas das suas antigas fundições em parques temáticos para crianças, como fez a cidade de Duisburgo com suas gigantescas siderúrgicas em 1985, a China faz o movimento contrário e expande seus altos fornos para fornecer ferro e aço ao mundo. Nas fundições, os operários chineses trabalham de sol a sol em condições penosas, como faziam os empregados de Duisburgo há mais de meio século.
5. Mineiro na ratoeira nevada.
05
“Temos medo sempre. Um desmoronamento de 10 centímetros e é o fim. Não há forma de nos tirar daqui”, confessa um mineiro ilegal ucraniano no filme de Michael Glawoggfer. Junto com outros companheiros da bacia do Donbás, ele procura carvão em filões que seus avós chamavam de “ratoeiras”. Fora da mina, as mulheres carregam o carvão em meio à neve, até duas toneladas por dia cada uma. Diante da câmera, os mineiros caçoam de Aleksei Stajanov, o famoso mineiro transformado em ídolo pela propaganda soviética em 1935, depois de extrair mais de cem toneladas de carvão em uma só jornada. “Nós não somos movidos pelo entusiasmo. Aquilo foi uma palhaçada.”

A Semana Santa e a educação dos filhos na fé Vivemos um momento privilegiado para a transmissão da fé em família


Os pais de família são os principais protagonistas da educação espiritual dos seus filhos, e a Semana Santa é uma oportunidade especial para transmitir-lhes a finalidade destes dias, de acordo com seu nível de compreensão.
 
Apresentamos, a seguir, algumas sugestões, segundo cada faixa etária:
 
De 0 a 3 anos
 
Desde que a criança nasce, ela precisa sentir Deus presente na vida dos seus pais. Nesta etapa, a vivência religiosa necessita ser vivida dentro da máxima clareza e com atos concretos, em um clima de muito carinho. Convém também que o bebê veja, do seu berço ou cama, uma imagem do Menino Jesus e de Nossa Senhora.
 
De 3 a 6 anos
 
Mais importante do que ensinar orações, é preciso desenvolver nos filhosa capacidade de diálogo simples e espontâneo com Deus. Há momentos do dia que se tornam ocasiões especiais para este diálogo, como, por exemplo, à noite, quando acompanhamos as crianças até a cama, ou ao acordar; igualmente, durante as refeições, nas quais agradecemos pelos alimentos e demais aspectos que cada um quiser mencionar.
 
Esta é a etapa na qual a criança começa a compreender o valor da Missa e, portanto, é bom levá-la, quando possível, a missas especiais para crianças. Isso ajuda os filhos a conceber a Celebração Eucarística não como um compromisso, uma obrigação, mas como um diálogo com Deus por meio desta cerimônia.
 
De 6 a 10 anos
 
Esta é a chamada “idade de ouro”, o momento o qual os pais podem ganhar boa parte a batalha da adolescência que chegará. É a idade do raciocínio e, portanto, convém levar alguns aspectos em consideração:
 
- Escolher um bom colégio
 
- Continuar dando bom exemplo
 
- Consolidar sua formação religiosa
 
- Prepará-los para a Primeira Comunhão
 
- Ajudá-los a formar sua consciência
 
- Continuar com as virtudes humanas e sociais
 
De 10 a 12 anos
 
Nesta etapa, os conselhos são uma continuação da fase anterior, mas com uma clara orientação a preparar os filhos para a idade da crise: a adolescência. Por isso, é importante cuidar, entre outras coisas, dos seguintes aspectos:
 
- Oferecer princípios claros e garantir que sejam bem compreendidos.
 
- Ajudar os filhos a intensificar a vivência das virtudes, especialmente da caridade, sinceridade, esforço e retidão.
 
- Dar-lhes informação sexual adequada à sua idade e às circunstâncias do ambiente em que vivem.
 
- Ajudá-los a usar sua liberdade responsavelmente.
 
- Ressaltar a necessidade e o valor de ajudar as pessoas.
 
- Ensiná-los a descobrir a importância de uma boa amizade.
 
- Manter com os filhos um clima de confiança e alegria.
 
Adolescência
 
Nesta fase, pode haver rebeldia e os filhos chegam até a se recusar a participarem de atividades religiosas. Neste caso, os pais precisam transmitir-lhes o amor de Deus de forma sempre positiva, apresentar Jesus como seu amigo, seu companheiro, seu protetor.
 
Como explicar-lhes a Semana Santa
 
Como ajudar os filhos a viver o verdadeiro sentido desta celebração, e não só como um “feriadão”? O primeiro e mais importante é que os pais demonstrem, com seu exemplo, o que realmente significa este tempo, ou seja, que os filhos vejam atitudes e comportamentos religiosos mais fervorosos que os habituais.
 
Também é conveniente explicar o significado de cada celebração, mas usando uma linguagem apropriada para a idade e nível de compreensão dos filhos. Os pais podem utilizar vários recursos, como vídeos, filmes e histórias (no caso dos menores).
 
Também vale a pena participar das diversas atividades da Semana Santaem família, como, por exemplo, procissões, confecção de ovos de Páscoa (mas com seu verdadeiro significado).
 
Além disso, os pais podem propor outras atividades relacionadas à finalidade da Quaresma, da Semana Santa e da Páscoa, como ajudar os necessitados, doar presentes e roupas, mudar algum comportamento inadequado, fazer pequenos propósitos pessoais, entre outras coisas.
 
O importante é transmitir aos filhos estes ensinamentos e experiências desde pequenos, para que experimentem o amor de Jesus.
 
(Fonte: “Urgencias de la Catequesis Familiar”, de Pedro de la Herrán e Fernando Corominas)
sources: LaFamilia.info

Desarme: Polícia faz operação para reduzir número de mortes Oitos armas foram apreendidas. A quantidade de presos ainda não foi informada. O foco é a zona Leste de Teresina.

Operação conjunta da Polícia Militar com a Civil apreendeu oito armas de fogo na manhã desta quarta-feira (16). O número de presos ainda não foi divulgado. A Operação Desarme tem o objetivo de reduzir em 40% o número de homicídios nos meses de abril e maio.

Dois delegados estão à frente da ação, que acontece na zona Leste de Teresina. São ao todo oito focos que estão sendo desarticulados por oito equipes de policiais. A principal acusação é de porte ilegal de armas de fogo.

"As pessoas que estão sendo presas são acusadas de envolvimento com homicídios e também estariam fornecendo armas para o cometimento de crimes", explicou o comandante de Policiamento da capital, coronel Alberto Meneses. 

Os presos estão sendo levados para a Academia de Polícia. Até o momento, dois homens chegaram algemados. Um deles é James Rodrigues de Oliveira, suspeito de matar uma pessoa na Vila Samaritana, na madrugada do último domingo. Segundo a polícia, ele foi solto da Casa de Custódia há 15 dias. 

O outro homem foi identificado como Erinaldo Ribeiro da Silva. Ele foi preso no Parque Universitário e portava armas de fogo.

Aguarde mais informações.

Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com

Acidente com caminhão e micro-ônibus deixa cinco mortos em São Vicente do Sul A colisão, próximo ao acesso da cidade, ocorreu por volta das 5h30min desta quarta-feira

Um micro-ônibus e um caminhão colidiram no início da manhã desta quarta-feira, na BR-287, em São Vicente do Sul, na Região Central. O acidente causou cinco mortes e deixou feridos.
Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão ocorreu próximo ao acesso à cidade, por volta das 5h30min. Além da PRF de Santa Maria e de Santiago, há equipes da Brigada Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no local. Os feridos já foram socorridos.
O micro-ônibus, de Santiago, seria da Secretaria da Saúde.
ZERO HORA

Homem se arrisca ao sair do carro para ver jacaré e é mordido por cobra Americano de 29 anos saiu do veículo para observar réptil na Flórida. Cobra mordeu vítima no pé, e homem foi levado de helicóptero ao hospital.

Do G1, em São Paulo

Um americano de 29 anos foi mordido por uma cobra no condado de Broward, na Flórida (EUA), ao sair de seu carro para que pudesse fazer algo ainda mais perigoso: olhar um jacaré de perto.
Americano foi mordido por cobra no pé ao sair do carro para observar jacaré na Flórida (Foto: Divulgação/Broward Sheriff Fire Rescue)Americano foi mordido por cobra no pé ao sair do carro para observar jacaré na Flórida (Foto: Divulgação/Broward Sheriff Fire Rescue)
O homem, que não foi identificado, estava com a namorada em uma estrada quando parou o carro e, de acordo com o jornal “Sun Sentinel”, avistou um jacaré e decidiu parar para observar o réptil.
No entanto, assim que a dupla saiu do veículo, o americano pisou em uma Agkistrodon piscivorus(da mesma família das víboras) e foi mordido no pé.
O casal ainda conseguiu tirar uma foto do predador e chamar o socorro em seguida, e mostrar qual o animal responsável pela mordida para facilitar os primeiros socorros.
Uma equipe especializada em animais peçonhentos foi deslocada ao local e a vítima transportada de helicóptero para um hospital.
Felizmente, o homem sobreviveu ao susto e passa bem.

Suspeito de deixar mochila em área da maratona de Boston é indiciado Homem vai responder por perturbação da ordem e falsa ameaça de bomba. Ele foi detido após largar mochila e tentar fugir nesta terça.

Da EFE

A polícia de Boston, nos Estados Unidos, indiciou nesta quarta-feira (16) por perturbação da ordem pública e falsa ameaça de bomba o homem que deixou uma mochila no local da linha de chegada da maratona de Boston durante as homenagens às vítimas do atentado que deixou 3 mortos e mais de 260 feridos no ano passado.
O homem foi detido nesta teça-feira (15) depois que um agente desconfiou de seu estranho comportamento e da forma peculiar com a qual estava vestido, todo de preto e com um capuz da mesma cor cobrindo seu rosto, informou hoje o chefe da polícia da cidade, Randall Halstead.
O incidente aconteceu exatamente um ano após os atentados na maratona de 2013.
  •  
   Mochila deixada na rua Boylston, região da linha de chegada da Maratona de Boston, é vissta em vídeo da WBZ-TV (Foto:  Reuters/WBZ-TV)Mochila deixada na rua Boylston, região da linha de chegada da Maratona de Boston, é vissta em vídeo da WBZ-TV (Foto: Reuters/WBZ-TV)
O suspeito, que deixou sua mochila cair quando o agente chamou sua atenção, segundo seu relato, enfrenta agora acusações de posse de bomba falsa, perturbação da tranquilidade e da ordem pública.
O incidente despertou todos os alarmes em um dia muito sensível para Boston, uma cidade que ficou traumatizada após a tragédia da maratona do ano passado.
O alerta ocorreu por causa de duas mochilas que foram deixadas próximas do local da linha de chegada da maratona, mas Halstead esclareceu que o detido possuía apenas uma delas e não deu mais detalhes sobre o conteúdo, nem o dono, da segunda.
Ambas foram detonadas de maneira controlada pelo esquadrão antibombas para abortar um possível atentado.
Até o momento, Halstead só detalhou que uma delas continha uma panela para o cozimento de arroz, mas não especificou qual.
Fontes consultadas pela imprensa americana indicam que a segunda mochila continha material jornalístico e era de um repórter que a deixou no caminho depois que foi acionado o alarme.
O fato obrigou a evacuação do local e mobilizou o esquadrão antibombas no dia em que é lembrado o aniversário do atentado com duas bombas colocadas nesse mesmo lugar e que mataram três pessoas.
Um robô foi enviado para inspecionar as mochilas e as detonou por precaução, sem maiores consequências, a não ser o medo revivido um ano depois da tragédia da última maratona.
A polícia isolou o perímetro da Rua Boylston poucas horas depois que as autoridades do estado de Massachusetts, de Boston e o vice-presidente americano, Joe Biden, prestaram ali uma homenagem às vítimas do atentado.
O local da linha de chegada foi isolado e a estação de Copley do metrô ficou fechada temporariamente, assim como os estabelecimentos comerciais da Rua Boylston, como garantia de segurança.
Devido à forte presença de meios de comunicação no local pelo aniversário dos atentados, vários técnicos relataram que viram uma pessoa gritar 'Boston Strong' (Força Boston) antes de deixar a mochila.
Ainda são desconhecidas as razões que levaram o detido a colocar pelo menos uma das mochilas no local da linha de chegada da maratona, que acontece no próximo dia 21.

Kim Kardashian gastou R$ 45 mil com injeções para aumentar o bumbum

Kim Kardashian e seu bumbum avantajado - Foto: Reprodução/Instagram
Kim Kardashian e seu bumbum avantajado – Foto: Reprodução/Instagram
Em matéria de bumbum avantajado, é difícil vencer Kim Kardashian, tanto que a socialite chegou a ser convidada a ser madrinha do concurso Miss Bumbum Brasil 2014. Kim vive causando ao lado do marido, o rapper Kanye West, e arrasa em campanhas publicitárias, mas o que dá mais audiência para a moça são as fotos super sensuais que vive compartilhando, e que deixam seus “atributos” bem à mostra. Só que manter esse bumbum sai caro para Kim Kardashian. Segundo a revista inglesa “Closer”, a morena gastou mais de doze mil libras, algo em torno de 45 mil reais, em injeções para empinar o“popozão“, só em 2013.
Kim da capa da revista "Closer" - Foto: Reprodução
Kim da capa da revista “Closer” – Foto: Reprodução
Segundo o Retratos da Vida, uma fonte afirma que sua obsessão por ter um bumbum grande já está chegando ao limite.
“Kim está se concentrando demais em seu traseiro ultimamente, está se tornando quase obsessiva. Ela diz que, quanto maior for, mais sexy ela se sente. Mas a obsessão de Kim está começando a preocupar seus amigos, eles estão preocupados se ela vai levar as coisas longe demais. Kim diz que quer um bumbum que salte aos olhos, que todo mundo perceba. É parte de sua marca”, contou a fonte.
Kim Kardashian adora posar mostrando o bumbum - Foto: Reprodução/Instagram
Kim Kardashian adora posar mostrando o bumbum – Foto: Reprodução/Instagram
Ano passado ela precisou negar insinuações de que teria próteses de silicone implantadas nas nádegas.
clicrbs

Quase 300 pessoas desaparecem após naufrágio na Coreia do Sul Coreia do Sul confirmou a morte de dois passageiros. Embarcação com mais de 400 a bordo virou no litoral do país.

Do G1, em São Paulo

Embarcação com mais de 400 a bordo virou e afundou na Coreia do Sul (Foto: AFP Photo)Embarcação com mais de 400 a bordo virou e afundou na Coreia do Sul (Foto: AFP Photo)
Ao menos duas pessoas morreram e 293 estão desaparecidas depois que uma balsa com 459 passageiros afundou, nesta quarta-feira (16), na Coreia do Sul. Até agora, cerca de 160 pessoas foram resgatadas em uma operação que envolve 34 barcos e 18 helicópteros.
A balsa, com capacidade para 900 passageiros, transportava em sua maioria estudantes.
O governo sul-coreano confirmou a morte de duas pessoas, um estudante e uma mulher que integrava a tripulação.
Equipes de resgate procuram por sobreviventes. (Foto: Hyung Min-woo / Yonhap / Via Reuters )Equipes de resgate procuram por sobreviventes. (Foto: Hyung Min-woo / Yonhap / Via Reuters )
Em um primeiro momento as autoridades anunciaram que 368 pessoas haviam sido resgatadas, mas depois retificaram a informação e confirmaram o resgate de apenas 164.
A embarcação que teria se inclinado após raspar o casco no fundo do mar. Pelo menos 325 passageiros eram estudantes que saíram do porto de Incheon rumo à  ilha de Jeju, um dos principais pontos turísticos do país asiático, conhecido como o "Havaí sul-coreano". O sinal de socorro foi emitido às 9h no horário local (21h de Brasília de terça).
As operações de socorro envolvem 18 helicópteros e 34 navios, mercantes, militares e da guarda costeira. O acidente ocorreu a cerca de 20 km da ilha de Byungpoong.
Várias pessoas foram resgatadas por barcos de pesca e navios mercantes que estavam na região antes da chegada da guarda costeira.
Também participaram no resgate mergulhadores e forças especiais da marinha.
"Houve um grande choque e o ferry parou", disse um passageiro por celular ao canal de televisão YTN. "O barco adernou e precisamos segurar em alguma coisa para não cair".
A balsa, uma embarcação de 6.825 toneladas, zarpou do porto de Incheon na terça-feira à noite, mas começou a registrar problemas depois de percorrer 13 milhas (20 km), diante da ilha de Byungpoong.
As causas do acidente são desconhecidas, mas alguns sobreviventes afirmaram que a balsa parou de repente, como se tivesse encalhado, apesar das condições meteorológicas favoráveis.
Os pais dos alunos se reuniram na escola de Ansan à espera de notícias e tentavam obter notícias dos filhos.
O tráfego marítimo entre a Coreia do Sul e suas múltiplas ilhas é muito intenso e os acidentes são raros, mas em outubro de 1993 quase 300 pessoas morreram no naufrágio de uma balsa.
Mãe se emociona ao encontrar o nome do filho numa lista de passageiros que sobreviveram ao naufrágio na Coreia do Sul. (Foto: Kim Hong-Ji / Reuters)Mãe se emociona ao encontrar o nome do filho numa lista de passageiros que sobreviveram ao naufrágio na Coreia do Sul. (Foto: Kim Hong-Ji / Reuters)