fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

domingo, 24 de junho de 2018

FESTA JUNINA NO SABIAZAL.

Neste sábado o vereador Bernardo Lima - PP esteve presente no ARRAIÁ DO VRAV próximo a antiga Linha do Trem no Bairro Sabiazal, muitas pessoas carentes daquela comunidade estiveram presentes e fizeram grandes elogios ao vereador pela iniciativa, em uma só voz todos foram unânimes em dizer " É a primeira vez que isso acontece, e nós da comunidade somos gratos ao vereador Bernardo Lima, não estamos em período de eleição mas ele sempre ajuda nossa comunidade "

Notava-se a alegria estampada no rosto de todos, foi simples mas foi maravilhoso a nossa festinha.

Este não promete, ele faz.
Alegria alegria no Sabiazal
Fotos e filmagens Fumanchú

O doleiro dos doleiros, Dario Messer, está disposto a se entregar

Papo TV
O doleiro dos doleiros, Dario Messer, está disposto a se entregar
O doleiro Dario Messer, chefe do esquema bilionário de lavagem de dinheiro desbaratado pela Operação Câmbio, Desligo, se diz disposto a colaborar com a Justiça, mas quer negociar condições para que possa se entregar, informa a Folha de S. Paulo.
Sobretudo, espera ter a possibilidade de responder aos processos em liberdade, disseram à Folha seus advogados nos dois países.
Messer está foragido há quase dois meses e é procurado pela Interpol.
Com base no estrago que fez a delação de Alberto Yousseff, que foi fundamental para o início da Lava Jato, um acordo de colaboração com Dario Messer seria algo infinitamente maior, tendo em vista que Dario foi apontado por Youssef como o doleiro dos doleiros.

O Brasil prestes a mergulhar em um escândalo mundial. Dario Messer, o doleiro das estrelas, quer negociar acordo de delação

Imprensa Viva

Procurado pela Interpol desde maio, quando a Polícia Federal no Rio deflagrou a Operação Câmbio, Desligo, doleiro Dario Messer, que se encontra foragido, quer agora negociar um acordo de delação com as autoridades brasileiras. Conhecido como o doleiro das estrelas e 'doleiro dos doleiros', a simples menção sobre a possibilidade de firmar um acordo de colaboração por parte de Dario Messer, notícia divulgada neste domingo pela Folha, pode mergulhar o país em mais um escândalo de proporções internacionais.

Segundo o advogado de Messer no Brasil,  José Marcondes de Moura,“Dario está aberto e quer falar tudo o que sabe, mas não quer ter a faca no pescoço”. O foragido construiu um currículo invejável no obscuro mundo do mercado financeiro ilegal. Acusado de ter coordenado um esquema que movimentou mais de 1,6 bilhão de dólares em 52 países, ele foi chamado pelo colega de profissão e delator Alberto Youssef de “o doleiro dos doleiros” no Brasil. Toninho Barcelona, outro gatuno das transações por baixo dos panos, disse que ele era “o principal doleiro do Partido dos Trabalhadores”.

Segundo informações do Ministério Público Federal, Messe teria movimentado mais de1 bilhão de dólares em transações ilícitas. É difícil mencionar um escândalo de corrupção brasileiro no qual Messer não tenha ajudado a azeitar as negociações e pagamentos. Durante o mensalão foi acusado de receber dólares petistas em uma de suas empresas offshore localizada no Panamá. Em troca, repassou quantia equivalente a uma conta no Banco Rural que seria utilizada pelo PT e pelo PP.

Dario Messer tem moradia fixa atualmente no Paraguai, para onde se mudou quando a operação Lava Jato começou, em 2014. Escondido em local incerto, o doleiro estaria disposto a negociar sua extradição rápida para o Brasil para firmar um acordo de delação com as autoridades locais. Poderoso, Messer estaria impondo como condição não ser preso. Pode ser o início de mais uma temporada de escândalos com proporções ainda maiores do que os casos revelados pela Operação Lava Jato. No caso do PT, a combinação do acordo de delação já homologado do ex-ministro Antonio Palocci, a delação de Messer pode significar o fim do partido.

Com informações na Folha

Lula chegou a alegar que no crime à ele atribuído não houve violência. O petista tentou de tudo para se livrar da cadeia

Imprensa Viva
Por mais que o ex-presidente Lula e seus apoiadores insistam em contestar a  condenação do petista pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, a condição de condenado já é um fato consumado pela Justiça Brasileira, de acordo com o Código Penal. Ao contrário de muitos brasileiros que não possuem recursos para recorrer à instâncias superiores, Lula teve amplo acesso à defesa de acordo com as regras de um estado democrático de direito, antes e após ter sua condenação confirmada por um colegiado de segunda instância.

Pela Constituição, não há absolutamente nada que Lula possa fazer para modificar a sua condição de criminoso condenado. Instâncias superiores não podem modificar decisões desta natureza. É assegurado ao condenado o direito de pedir para responder por seus crimes em liberdade. Até o momento, todas estas tentativas foram frustradas justamente pela clareza de sua condenação na Lava Jato.

O petista que agora faz de tudo para se livrar da cadeia já fez de tudo para evitar a prisão. Por meio de sua defesa, Lula chegou a argumentar "que não há necessidade de prendê-lo antes que seus recursos sejam julgados pelo STF e pelo STJ, uma vez que no crime que lhe é atribuído - e que ele nega e afirma ter sido condenado injustamente - não houve violência, que ele tem 72 anos, é réu primário e tem bons antecedentes"

Estas foram algumas das alegações da defesa do ex-presidente contidas em um dos inúmeros habeas corpus apresentado ao Supremo Tribunal Federal (STF), em que Lula pedia para não ser preso após sua condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Lula chegou a alegar ainda, por meio de sua defesa, que o suposto crime de corrupção passiva supostamente cometido teria ocorrido em 2009 e, como a denúncia ocorreu em 2016, estaria prescrito porque ele tem mais de 70 anos e seria beneficiado pela redução pela metade do prazo de prescrição - de 12 anos para seis anos.

Não teve jeito. Lula foi preso e continua preso. 

Palocci é um dos fundadores do PT e 3.º na hierarquia do partido. Além da 'credibilidade' de seus relatos, sua delação é fatal para a legenda

Imprensa Viva

A homologação do acordo de delação que o ex-ministro Antonio Palocci fechou com a Polícia Federal pode resultar em mais problemas para o Partido dos Trabalhadores e seus integrantes do que todas as delações feitas até hoje na Lava Jato.

Diferentemente de Marcelo Odebrecht, Joesley Batista e Léo Pinheiro, entre outros delatores que apontaram para supostos crimes praticados por Lula, Dilma e demais integrantes dos governos do PT, Palocci é um membro do núcleo duro do partido e participou da maior parte dos ilícitos relatados por delatores. A diferença entre os relatos é considerada dramática, uma vez que Palocci estava do outro lado do balcão de negócios espúrios comandados pelo ex-presidente Lula.

Uma pequena amostra do poder devastador das delações do ex-ministro pode ser conferida em algumas confissões feitas de forma espontânea por Palocci ao juiz Sérgio Moro durante um de seus depoimentos na Lava Jato em setembro do ano passado.

Na ocasião, Palocci falou por duas horas a Moro e incriminou diretamente os ex-presidentes Lula e Dilma no esquema de corrupção na Petrobrás, O petista, que está preso desde 2016, detalhou o acerto de R$ 300 milhões em propinas da Odebrecht para o projeto político de Lula, em 2010.

Entre outras coisas, Palocci  confirmou que a reforma do sítio de Atibaia, a compra de um terreno de R$ 12 milhões para ser sede do Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo foram propinas da Odebecht, dentro de um “pacto de sangue” fechado, em 2010, com o patriarca da maior delação da Lava Jato, Emílio Odebrecht.

Durante o depoimento, o juiz Sérgio Moro quis saber se a acusação contra o ex-presidente Lula no caso de recebimentos de vantagens indevidas da Odebrecht procedia, se a empreiteira comprou mesmo o terreno para Instituto e sobre a participação de Palocci no episódio.

Palocci não apenas confirmou sua participação, como foi além dos elementos contantes na acusação contra Lula:

“Participei”. “A denúncia procede, os fatos são verdadeiros. Eu diria apenas que os fatos desta denúncia dizem respeito a um capitulo de um livro um pouco maior do relacionamento da Odebrecht com o governo do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma, que foi uma relação bastante intensa, bastante movida a vantagens, a propinas pagas pela Odebrecht para agentes públicos, em forma de doação de campanha, de benefícios pessoais, em forma de caixa 1 e caixa 2.” Confirma o que foi dito por Marcelo Odebrecht de que ele era interlocutor da empresa com o governo, para seus interesses e para temas de campamha e inclusive “ilícitos, disparou Palocci logo nos primeiros minutos de seu depoimento ao juiz Sérgio Moro.

Palocci afirmou ainda que Marcelo Odebcht não mentiu sobre planilha de propinas encontrada no Setor de Operações Estruturadas da empresa que registrava quase R$ 200 milhões, que seriam créditos para o PT e Lula administrados por Palocci, o “Italiano”. Conta que relação era “fluida com governo em todos aspectos”, em projetos e em campanhas.

O ex-ministro confirmou ainda que, como membro da cúpula dos governos do PT, tinha ciência dos ilícitos cometidos na Petrobras para arrecadação de propinas. “Era um intenso financiamento partidário.” O ex-ministro disse que a Petrobrás não era sua área de atuação direta, mas como membro da cúpula do governo ele disse que sabia dos desvios e discutiu isso internamente. “Eu sabia porque era da cúpula do governo e conversava com Lula sobre essas relações.”, garantiu o ex-ministro.

Todos estes relatos, e outros mais envolvendo outros negócios espúrios dos governos do PT de Lula e Dilma, estão registrados em vídeo do depoimento de Palocci ao juiz Sérgio Moro cerca de um ano atrás. Apesar da gravidade das revelações, o Ministério Público Federal criou empecilhos para celebrar o temido acordo de delação com o petista. Coube à Polícia Federal 'contornar' estas dificuldades e garantir que dezenas, talvez centenas de crimes, fossem investigados. Tudo vai começar agora, após decisão do TRF-4 de homologar a delação de Palocci, dois dias depois que o Supremo Tribunal Federal autorizar delegados de polícia a fecharem acordos de delação premiada. O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), homologou a delação do ex-ministro Antonio Palocci na última sexta-feira, 22. Em breve, novas investigações, diligências e novas operações da Lava Jato serão realizadas com base na delação do primeiro integrante do núcleo duro do PT. 

Hamilton vence com sobras o GP da França e recupera liderança do campeonato

LAT Imagens
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)
Lewis Hamilton confirmou o fim de semana perfeito neste domingo (24) ao vencer o GP da França de F-1. O 65º triunfo na carreira fez o inglês da Mercedes voltar à liderança da temporada 2018, com 145 pontos -Sebastian Vettel, que se envolveu em um acidente na primeira volta e foi o quinto colocado, soma 131 pontos.
Max Verstappen e Kimi Raikkonen completaram o pódio da oitava prova do ano, seguidos por Daniel Ricciardo, o terceiro colocado na classificação, com 96 pontos. Valtteri Bottas, que chegou em sétimo, é o quarto colocado, com 94 pontos.
Hamilton teve uma corrida tranquila e viu, logo na largada, Vettel tocar o carro de Bottas. Sem seus principais adversários, o tetracampeão ditou o ritmo da prova e não foi ameaçado em nenhuma ocasião. O inglês completou assim um trabalho perfeito, com a pole position e os melhores tempos nos dois primeiros treinos livres.
A F-1 volta já na próxima semana. O GP da Áustria, a nona corrida da temporada 2018, acontece no domingo, dia 1º de julho, às 10h10 (horário de Brasília).
ACIDENTES
Hamilton conseguiu se manter na liderança de forma tranquila após largar bem. Já Bottas sofreu com o ataque de Vettel. Na primeira curva, o alemão da Ferrari perdeu a freada e acabou tocando a roda traseira da Mercedes do finlandês. Com o acidente, a asa dianteira da Ferrari ficou danificada, enquanto Bottas teve de levar o carro até os boxes com o pneu furado.
Outro acidente marcou a primeira volta do GP da França. Correndo em casa, Esteban Ocon e Pierre Gasly se chocaram depois que o piloto da Force India foi tocado por Romain Grosjean. Os franceses, por isso, não conseguiram voltar para a corrida, frustrando boa parte dos 65 mil espectadores presentes ao circuito de Paul Ricard.
Depois de voltar dos boxes com uma nova asa dianteira, Vettel se envolveu em outro acidente. Dessa vez, com Fernando Alonso, que chegou a sair da pista. A partir de então, o alemão passou a fazer uma corrida de recuperação. Na 20ª volta, o piloto da Ferrari já era o quinto colocado, atrás de Hamilton, Verstappen, Ricciardo e Raikkonen. Bottas, por sua vez, ocupava a 10ª posição naquele momento.
Tão logo os acidentes da primeira volta aconteceram, a FIA passou a investigar as manobras de Vettel e Grosjean. Pouco depois, ambos acabaram punidos com cinco segundos cada. Na 41ª volta, Vettel, que já havia sido superado por Raikkonen, foi para os boxes trocar pneus e cumprir a punição. Mesmo assim, manteve a quinta posição, à frente de Sainz.
A classificação do GP da França
1. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes): 1h30m11s385
2. Max Verstappen (HOL/Red Bull): +7s090
3. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari): +25s888
4. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull): +34s736
5. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari): +61s935
6. Kevin Magnussen (DIN/Haas): +79s364
7. Valtteri Bottas (FIN/Mercedes): +80s632
8. Carlos Sainz (ESP/Renault): +87s184
9. Nico Hulkenberg (ALE/Renault): +91s989
10. Charles Leclerc (MCO/Sauber): +93s873
11. Romain Grosjean (FRA/Haas): a 1 volta
12. Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren): a 1 volta
13. Marcus Ericsson (SUE/Sauber): a 1 volta
14. Brendon Hartley (NZL/Toro Rosso): a 1 volta
15. Sergey Sirotkin (RUS/Williams): a 1 volta
Não completaram
Fernando Alonso (ESP/McLaren): a 50 voltas
Lance Stroll (CAN/Williams): a 48 voltas
Sergio Pérez (MEX/Force India): a 27 voltas
Esteban Ocon (FRA/Force India): abandonou
Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso): abandonou

Aliados de Bolsonaro acreditam que debates dariam munições aos rivais Com pouco tempo na TV, a estratégia do grupo do pré-candidato à Presidência é de que ele participe dos embates apenas no segundo turno

bahia.ba
Foto: Divulgação/ Agência Câmrara
Foto: Divulgação/ Agência Câmrara

Aliados do pré-candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL), justificam a decisão de não participar dos debates eleitoras. Eles acreditam que essas aparições dariam munição aos rivais, que possuem mais tempo na TV, enquanto o deputado tem apenas dez segundos.
Segundo a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, a estratégia é que Bolsonaro participe dos embates apenas no segundo turno, quando todos dispõem do mesmo tempo de propaganda.

ANIVERSARIANTE DO DIA

Hoje meu sobrinho querido André Luis Braga completa mais uma ano de vida, falar desse cidadão muito nos honra por se tratar de uma pessoa nota DEZ e que dispensa comentários.

Aproveitamos para lhe desejar tudo de bom e que DEUS lhe proteja e cubra de bençãos juntamente com os seus familiares.

Parabéns e felicidades.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza

sábado, 23 de junho de 2018

UM VERME, UM IDIOTA MIMADO.

Esse cara é idolatrado! pra mim.isto é atitude de MARGINAL! Nunca me representou! meu repudio. a este cidadão e suas atitudes!

O poder faz isso em alguns IDIOTAS, não torço pelo SELEÇÃO por causa do momento político, pela crise no país, pela CORRUPÇÃO e por causa desse IDIOTA MIMADO por alguns IDIOTAS.

 

Caso Vitória: Pista pode valer recompensa de até R$ 50 mil para denúncias sobre o autor do crime

Papo TV
Caso Vitória: Pista pode valer recompensa de até R$ 50 mil para denúncias sobre o autor do crime
Neste sábado (23), a Secretaria de Segurança Pública divulgou que está oferecendo pagamento de até R$ 50 mil como recompensa para quem fornecer informações que levem à identificação do responsável pela morte de Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, 12 anos. 
A estudante foi localizada no dia 16 de junho, na Estrada da Aparecidinha, bairro Caxambu, em Araçariguama.
De acordo com a TV Tem, o delegado Acácio Aparecido Leite, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, afirmou que nenhuma denúncia sobre o assassinato havia sido recebida.
"A gente pede que essa energia e tristeza sejam canalizadas em informações, que as pessoas utilizem os canais de denúncia", disse.
As informações podem ser passadas diretamente à polícia por e-mail, carta, telefone ou pessoal. A identidade é mantida em sigilo. Via "Disque Denúncia", o telefone é 181.

Com informações do G1.

DE LINGERIE, CLEO POSA DENTRO DO MAR E BRINCA: "QUANDO CAI ÁGUA NOS SEUS OLHOS E VOCÊ AGE NATURALMENTE" Atriz será vilã de novela das 7, 'O Tempo Não Para'

Quem
Cleo Pires (Foto: Reprodução/Instagram)








Cleo deixou os internautas babando na noite deste sábado (23) ao publicar uma foto nas redes sociais. Na imagem, atriz e cantora aparece dentro do mar usando uma lingerie branca.
"Quando cai água nos seus olhos e você age naturalmente", escreveu ela na legenda da publicação. O próximo papel de Cleo será a vilã Betina, na nova novela das 7, O Tempo Não Para.
A história começa em 1886, quando o navio em que viaja a família de Marocas (Juliana Paiva) naugrafa e alguns dos passageiros são congelados, acordando nos tempos atuais.
Cleo Pires (Foto: Reprodução/Instagram)
Betina vai se envolver em um triângulo com Marocas e Samuca (Nicolas Prattes) e fazer de tudo para manter seu noivado com o rapaz. Em conversa com a QUEM, Cleo falou sobre a personagem.
"Eu me identifico com ela em alguns pontos. Ela tem atitude, atitude de mulher com autonomia, independente. Ela é focada, determinada, moderna, pra ‘frentex’. Mas o cara com quem planeja se casar vai se encantar por outra, que é justamente uma menina vinda de outro século", disse Cleo.

PF prende falsário que se passava por médico, coronel e jornalista

Foto: Google Maps
Um gaúcho de 49 anos, de iniciais C.R.F.S.,foi preso pela Polícia Federal em Parnaíba (a 306 km de Teresina) suspeito de se passar por médico, coronel da polícia, massoterapeuta e jornalista. O falsário é condenado por assalto a banco no Mato Grosso e cumpria regime aberto. 
A prisão em flagrante aconteceu após ele prestar um suposto atendimento médico a um cidadão parnaibano. 
Um mandado de busca e apreensão expedido pela 2ª Vara Criminal foi cumprido na casa do suspeito, no bairro Planalto. A residência era alugada e ele morava com a mulher que se passava por juíza federal. 
O falsário ainda informou estar atuando como radialista há dois meses e prestava serviços de massoterapia em domicílios da cidade.
De acordo com a Delegacia da Polícia Federal, o falsário já possui inúmeros registros criminais em todo o território nacional, por estelionato, uso de documento falso e assalto a mão armada. Ele ainda está cumprindo pena em regime aberto por um roubo a banco praticado no estado de Mato Grosso. 
A polícia comunicou a prisão à Vara das Execuções Penais por onde tramita o processo para possível expedição de mandado de prisão, pois ele não poderia se ausentar daquela cidade sem autorização judicial.
Algumas vítimas já foram identificadas e estão prestando depoimento nos autos do inquérito. O preso foi recolhido à Penitenciária Mista de Parnaíba onde permanecerá a disposição da Justiça Federal (flagrante) e da Vara de Execuções Penais (revisão do regime de cumprimento da pena por roubo).

Da redação 
redacao@cidadeverde.com

Vigia de posto baleado na cabeça em assalto passa por cirurgia

É grave o estado de saúde do vigilante Raimundo Nonato Sousa, 46 anos, que levou um tiro na cabeça, na noite de ontem(22) enquanto trabalhava em um posto de combustível, no bairro Rosápolis, em Parnaíba (a 306 km de Teresina). 
De acordo com um funcionário do posto, que não quis ser identificado, os quatros bandidos já haviam feito o assalto ao frentista quando o vigia, que havia acabado de assumir o posto, apareceu. 
“Ele estava saindo do banheiro e quando viu tentou correr. Ele nem chegou a reagir, atiraram nele de costas, e já tinham assaltado”, afirma. 
O funcionario disse que tem oito meses que trabalha no local e que neste período este é segundo assalto. “Sempre acontece no horário perto do posto fechar, que fechamos às 22 horas. O frentista que vai ficar hoje está apavorado”, relata o funcionário. 
Ele afirma que não sabe quanto levaram do frentista e nem se a vítima sabe identificar os bandidos. “Não falamos com ele e acredito que ele não venha trabalhar esses dias”, revela.
O vigia foi socorrido pelo Samu e encaminhado para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), onde fez uma tomografia ontem, passou pela a avaliação do neurologista e hoje às 9 horas entrou no centro cirúrgico. 
Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Caso Vitória: Delegado diz que 'linha principal seria de execução por vingança' Segundo o delegado, forma como o corpo da garota foi encontrado em Araçariguama, com pés e mãos atados e amarrado a uma árvore, indica violência para caracterizar o crime. Motivo da suposta vingança é desconhecido e polícia também fala em engano.

Por G1 Sorocaba e Jundiaí
Menina ficou desaparecida por oito dias, quando foi encontrada morta em mata, em Araçariguama (SP) (Foto: TV TEM/Reprodução)Menina ficou desaparecida por oito dias, quando foi encontrada morta em mata, em Araçariguama (SP) (Foto: TV TEM/Reprodução)Menina ficou desaparecida por oito dias, quando foi encontrada morta em mata, em Araçariguama (SP) (Foto: TV TEM/Reprodução)
A Polícia Civil informou que a principal linha de investigação da morte da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, é de vingança.
A garota foi encontrada morta no dia 16 de junho em uma área de mata, às margens de uma estrada de terra no bairro Caxambu, em Araçariguama. Vitória Gabrielly estava desaparecida havia oito dias, quando saiu para andar de patins e não foi mais vista.
Polícia Civil aguarda laudos sobre o caso de Vitória Gabrielly
Segundo o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, a forma como o corpo da garota estava indica violência para caracterizar o crime.
“A hipótese, não de autoria, mas de circunstância e motivação, da forma como o corpo foi encontrado, pelo local, pelas amarras, pela forma que ela estava amarrada, a linha principal seria de execução por vingança.”
Ainda conforme Carriel, o motivo da suposta vingança é desconhecido e outra hipótese é que Vitória foi morta por engano, pois todo o histórico da família da garota não aponta que eles sofreriam algum tipo de represália.
“Se foi por engano, se vingar essa versão, quem seria o alvo correto?”, questiona o delegado, explicando que essa é uma das respostas que buscam.
Corpo da Vitória Gabrielly foi encontrado em mata, em Araçariguama, ao lado dos patins (Foto: Rodrigo Cunha/G1)Corpo da Vitória Gabrielly foi encontrado em mata, em Araçariguama, ao lado dos patins (Foto: Rodrigo Cunha/G1)Corpo da Vitória Gabrielly foi encontrado em mata, em Araçariguama, ao lado dos patins (Foto: Rodrigo Cunha/G1)
A Secretaria de Segurança Pública divulgou que está oferecendo uma recompensa de até R$ 50 mil para audar a desvendar o caso.

Asfixia

As primeiras provas colhidas por peritos do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo indicam que Vitória Gabrielly foi morta por asfixia e não por estrangulamento. A menina tinha uma meia na boca, o que indica a versão.
O corpo da menina foi encontrado a sete quilômetros do ginásio onde ela foi vista pela ultima vez. Uma câmera de segurança registrou a menina andando de patins no dia que desapareceu (veja abaixo).
Câmeras de segurança flagram garota antes de desaparecer em Araçariguama
Segundo as investigações, o corpo de Vitória estava amarrado a uma árvore. Uma pessoa cortou as cordas antes da polícia chegar.
A adolescente tinha marcas nos tornozelos e nos punhos e não tinha sinais de estrangulamento nem de abuso sexual.
Corpo de menina desaparecida em Araçariguama é encontrado ao lado de patins (Foto: Divulgação/PM)Corpo de menina desaparecida em Araçariguama é encontrado ao lado de patins (Foto: Divulgação/PM)Corpo de menina desaparecida em Araçariguama é encontrado ao lado de patins (Foto: Divulgação/PM)

Investigação

O IC investiga se a meia que estava na boca da garota tinha algum produto químico que possa ter induzido ou acelerado a morte e também busca material de DNA nas cordas e nas roupas.
O material será comparado com amostras genéticas colhidas de três pessoas investigadas, uma delas está presa.
A investigação também tenta localizar, através das estações rádio base, celulares que foram usados ou que estiveram na região onde o corpo foi encontrado.
Mais de 70 pessoas já foram ouvidas durante a investigação. A Polícia Civil também analisa aproximadamente 300 horas de gravações de câmeras de segurança recolhidas de imóveis perto do local do crime.
Patins da menina Vitória foram levados pela perícia à delegacia de Araçariguama (Foto: Witter Veloso/TV TEM)Patins da menina Vitória foram levados pela perícia à delegacia de Araçariguama (Foto: Witter Veloso/TV TEM)Patins da menina Vitória foram levados pela perícia à delegacia de Araçariguama (Foto: Witter Veloso/TV TEM)
O servente de pedreiro que está preso disse à polícia que esteve com Vitória no dia do crime. Ele também contou que a menina foi levada por um casal em um carro.
O casal foi ouvido e liberado, pois a policia não encontrou indícios de envolvimento deles. Mesmo assim, dias depois, eles foram chamados para colher material genético.
Os pais da menina, Rosana Guimarães e Luiz Alberto Vaz, prestaram depoimento por mais de uma vez e tiveram os celulares apreendidos.
A mãe chegou a receber ameaças por mensagens, mas identificou o conteúdo como trote e descartou o envolvimento no crime.
Pai e mãe da menina prestaram depoimento à polícia e tiveram celulares apreendidos (Foto: Reprodução/TV TEM)Pai e mãe da menina prestaram depoimento à polícia e tiveram celulares apreendidos (Foto: Reprodução/TV TEM)Pai e mãe da menina prestaram depoimento à polícia e tiveram celulares apreendidos (Foto: Reprodução/TV TEM)