FumanchúWebRádio

fan page

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

VERGONHA!!! PARNAÍBA RÚGBI SOFRE GOLEADA EM SÃO LUIS

Parnaíba Rugby perde e torce por resultado que 

classifica para Liga NE


Na sua primeira partida oficial, disputada no último sábado (28) em São Luís, o Parnaíba Rugby foi derrotado pelo Sampaio Corrêa na disputa que valia o acesso para a Liga Nordeste de Rúgbi de XV em 2014. No entanto, a equipe piauiense ainda pode se classificar caso o time derrotado no confronto entre Cães de Areia e Paulista perca por um placar mais elástico.

jogo entre maranhenses e piauienses servia para definir quem poderá ingressar na Liga Nordeste em 2014. O resultado de 34 a 12 a favor do Sampaio deu a vaga para o time, que já disputou a edição de 2013. O Parnaíba, formado há menos de um ano, disputava a sua primeira partida oficial, o que pode ter pesado no resultado.
Imagem: Arquivo pessoalParnaíba Rugby passou meses treinando e jogando amistosos antes de partida oficial.(Imagem:Arquivo pessoal)Parnaíba Rugby passou meses treinando e jogando amistosos antes de partida oficial.

- Nós jogamos bem, mas como era a primeira partida oficial bateu aquele nervosismo, que eu acho que foi o principal. No segundo tempo, o cansaço também começou a bater, o que eu acho que prejudicou também – diz Magno Aguiar, capitão do time.

Agora, para participar da Liga Nordeste, a equipe piauiense tem que torcer. Pelo regulamento, seis equipes disputam quatro vagas em três jogos de acesso, classificando-se os vencedores e o melhor perdedor. No primeiro jogo do acesso, o Quibaana, da Bahia, perdeu para o Delta Rugby, também piauiense, por W.O e está fora. No próximo sábado (5), Cães de Areia e Paulista se enfrentam e, caso o derrotado perca por uma vantagem maior que 22 pontos, o Parnaíba Rugby se classifica.

Futuro


Mesmo esta sendo a primeira partida oficial do Parnaíba Rugby, a equipe já faz planos a longo prazo. Ainda mobilizando a realização de um campeonato piauiense para não ficarem parados, o clube se prepara para incluir o rúgbi entre os esportes praticados nas escolas públicas de Parnaíba, e quer ver a modalidade sendo disputada já nos jogos escolares de 2014.




Fonte G1 PI

'Nasci e vou morrer no tráfico', diz fugitivo ao ser recapturado no PI Homem é um dos quinze fugitivos da Casa de Custódia de Teresina. Elenilson Alves, foi capturado na mesma casa onde foi preso em maio.

Do G1 PI

Elenildo Alves da Silva, de 33 anos (Foto: Ellyo Teixeira/G1)Elenildo Alves da Silva, de 33 anos (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
"Nasci e vou morrer no tráfico". Essa foi a declaração de Elenilson Alves da Silva, 30 anos, fugitivo da Casa de Custódia, que foi recapturado por volta das 12h30 desta segunda-feira (30) por policiais do serviço de inteligência da Polícia Militar e da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone). Segundo o capitão Anselmo Portela, a prisão aconteceu na mesma casa onde ele foi detido durante a Operação Pioneiros realizada pela Polícia Federal em maio deste ano.
“Fizemos um cerco na casa do bairro Lorival Parente (Zona Sul), que ficou conhecida como 'quartel general' do tráfico na área após a operação da PF. Na operação em maio, ele foi preso junto com seu pai acusado de fazer parte da quadrilha que comandava o tráfico na região. O pai dele, dono da casa, também era acusado de distribuir e vender armas”, disse.
No início da tarde, o serviço avançado da Rone prendeu mais um fugitivo na Vila Paraíso, Zona Sul. “Nós já vinhamos monitorando a situação e a polícia conseguiu prender mais um dos que fugiram da Casa de Custódia. Agora já são sete recapturados”, disse Anselmo, informando ainda que a PM continua atrás dos outros oito que ainda estão foragidos.
No dia 10 de maio, a PF deflagrou a ‘Operação Pioneiros’ para combater o tráfico de drogas em Teresina e outras cidades do estado. Pelo menos 14 pessoas foram presas e os policiais fizeram a apreensão de armas e drogas na casa no bairro Lourival Parente, Zona Sul da capital. Segundo a polícia, a casa funcionaria como um 'quartel general' com câmeras de alta definição e de alto alcance instaladas e seria um ponto para a distribuição de drogas em toda a região.
Durante a madrugada do dia 1º de setembro, Elenilson Alves e outros quatorze detentos fugiram do pavilhão C da Casa de Custódia, em Teresina. Eles cavarem um túnel na cela 11 que estava em reforma e logo depois pularam o muro do presídio.

15 médicos estrangeiros podem começar a atuar no Piauí nesta terça Ministério autorizou os profissionais que pediram o documento dia 10. Até dia 19, todos os médicos devem estar com registros liberados.

Do G1 PI

A partir desta terça-feira (1º), 15 dos 19 médicos com diploma estrangeiro do programa Mais Médicos que devem trabalhar no Piauí podem iniciar a realização das suas atividades. Segundo informações do Ministério da Saúde, os profissionais que entraram com o pedido de registro no dia 10 de setembro estão com os documentos liberados.
Até ás 17h desta segunda-feira (30), o Ministério entrou em contato com três prefeituras que estão com os médicos devidamente registrados para desempenhar suas funções, e as demais devem ser notificadas até a manhã desta terça-feira (1º), garantiu o MS.
Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, os quatro profissionais restantes ainda não receberam o registro por terem dado entrada na documentação posteriormente. A previsão, é que até o dia 19 todos os médicos estejam com os documentos liberados.
Os 19 profissionais, sendo 18 cubanos e um brasileiro formado no exterior estão divididos em 10 cidades: Esperantina (três médicos), Acauã (dois), Barras (dois), Betânia do Piauí (dois), Campinas do Piauí (dois), Cocal (dois), Morro Cabeça no Tempo (dois), Pio IX (dois), São Miguel do Tapuio (dois) e São João do Piauí (um).

ISSO É TRABALHO!!! ISSO É PT.

Estudante que diz ter sido estuprada em sala de aula abandona escol


Estudante que foi estuprada em sala de aula abandona a escola
A adolescente de 13 anos que teria sofrido um estupro dentro de uma sala de aula na 
cidade de Ananindeua, na Pará, abandonou a escola. Segundo a menina, os outros estudantes sabem do que ocorreu e ela está com vergonha.

— Todo mundo ficou sabendo e agora tenho vergonha de ir até lá. Não sei se vou ter coragem de voltar.

Segundo a menina, um colega de classe a chamou em uma sala para mostrar um vídeo. Ela entrou e o garoto  trancou a porta. Outros dois meninos já estavam no local e a seguraram para que o amigo cometesse o estupro. A vítima afirmou que nenhum inspetor estava por perto ou professor.

— Eu fui ver o vídeo. Eles colocaram a mão na minha boca para eu não gritar, para ninguém ouvir. Dois me seguravam para o outro estuprar.

Os pais da adolescente acusam a escola de omissão na situação porque não comunicou os pais dos alunos envolvidos e não prestou ajuda à vítima. A direção do colégio afirmou que conduziu a estudante para a delegacia e que o caso é investigado pela polícia.

A menor de idade passou por um exame de corpo de delito. O resultado deve ficar pronto em 30 dias. Os adolescentes suspeitos do estupro têm 11, 12 e 13 anos. Eles continuam frequentando a escola.

Prefeitura inicia a instalação de semáforos em novos locais da cidade


A Prefeitura de Parnaíba iniciou a instalação de dois semáforos em locais estratégicos da cidade, sendo um cruzamento da Avenida Pinheiro Machado com a Rua Itaúna, e o outro na Avenida Princesa Isabel próximo à rotatória do Balão da Guarita.
alt
A instalação dos semáforos na Avenida Pinheiro Machado foi definida com o Departamento Nacional de Trânsito (Denit) e Polícia Rodoviária Federal, viabilizando mais uma alternativa para quem vem do centro da cidade sentido bairro Piauí, reduzindo o tráfego na Avenida João Silva Filho. O funcionamento deste equipamento está dependendo da abertura da área de passeio da avenida, que será iniciada nesta quarta-feira (02).

Segundo a Secretaria de Transporte, Trânsito e Articulação com as Forças de Segurança (SETRANSAFS) o outro equipamento funcionará de forma sincronizada na Avenida Princesa Isabel e Avenida Cel. Lucas, e o condutor que se deslocar do centro deverá obedecer ao tempo limite para diminuir o congestionamento na rotatória.
alt

Prefeitura de Parnaíba capacita agentes do município sobre o Programa Nacional de Controle de Endemias


Os agentes de endemia da Vigilância Ambiental do município estão participando de um curso do Programa Nacional de Controle de Endemias, no período de 30/09 a 04/10. A iniciativa da Prefeitura de Parnaíba, através da Secretaria da Saúde (Sesa) prioriza a capacitação dos servidores municipais para garantir à população qualidade no controle da dengue e de outras endemias como doença de chagas, leishmaniose (calazar), raiva, esquistossomose.

alt

Também serão abordados conhecimentos sobre a vigilância da água e educação em saúde em 40 horas aula, ministradas por técnicos do Estado e consultoria do Ministério da Saúde. Segundo a coordenação da Vigilância Ambiental de Parnaíba a proposta da Sesa é de sempre promover cursos no sentido de aperfeiçoar o serviço desses profissionais.

alt

Correia Lima é condenado a 23 anos de prisão por morte de policial civil Ex-coronel foi condenado como mandante do crime ocorrido em 1989. Juíza da 2ª Vara Criminal proferiu a sentença no fim tarde desta segunda (30).

Do G1 PI

Após um dia inteiro de julgamento, José Viriato Correia Lima foi condenado, nesta segunda-feira (30), a 23 anos de prisão em regime fechado pela morte do policial civil Evandro Safanelli. O júri entendeu que o ex-coronel foi o mandante do crime ocorrido em 1989.  A sentença foi pronunciada pela juíza Maria do Perpétuo Socorro Ivani Vasconcelos, da 2ª Vara Criminal de Parnaíba, no fim da tarde.
As considerações finais do promotor e do advogado de defesa terminaram pouco depois das 17h. A juíza concedeu 30 minutos para deliberação dos jurados, que decidiram de forma unânime pela condenação de Correia Lima como mandante do assassinato do policial, que era namorado de sua filha.
Durante o julgamento, o promotor de justiça João Malato pediu a detenção do policial civil Francisco das Chagas Araújo por entender que ele prestou falso testemunho durante seu depoimento.
Francisco das Chagas negou que estivesse prestado depoimento sobre a morte do agente policial Leandro Safanelli na sede da Polinter em 1989.  Ele também sugeriu que a assinatura que constava no depoimento  fosse  falsificada.

Nove testemunhas são ouvidas no julgamento de Correia Lima

Atualizada às 11h

As nove testemunhas que fazem parte do processo que julgará o ex-coronel José Viriato Correia Lima estão depondo nesse momento a portas fechadas. O público e a imprensa foram impedidos de acompanhar as oitivas.

Foto: Portal do Catita

Sete das testemunhas são de acusação e apenas duas são de defesa. O réu já se apresentou ao corpo de jurados, mas ainda não depôs. A expectativa é de que ele seja ouvido ainda durante esta manhã.

Atualizada às 9h33

A juíza Maria Evani Vasconcelos, da 1ª Vara Criminal de Parnaíba, está presidindo o julgamento do ex-coronel José Viriato Correia Lima, que já se iniciou. O local, auditório do Sesi de Parnaíba, foi aberto ao público. Todo o quarteirão está sendo monitorado pela polícia.

O desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí Francisco Paes Landim designou outros dois juízes para dar reforço ao julgamento: Elizabeth Marchetti e Zilnar Coutinho. Além disso, três defensores públicos acompanham o procedimento para, caso os advogados sejam afastados, a corte não seja suspensa. 

Wendel Reis assumiu a defesa, como estava previsto, e está posicionado ao lado do réu. 

Atualizada às 9h15

No local há boatos de que o advogado de defesa do réu, Wendel Oliveira, seria destituído da função antes do julgamento. Mas, em entrevista, Wendel afirmou não ter conhecimento da medida. "Ainda não conversei com meu cliente, mas não há provas suficientes para condená-lo", argumentou.




Na semana passada, Wendel declarou em entrevista à TV que Correia Lima "não se regenera". 

Postada às 7h49

O ex-coronel José Viriato Correia Lima chegou ao Teatro do Sesi, onde será julgado pelo caso Safanelli, por volta de 7h10. O julgamento terá início em instantes e a segurança foi reforçada pela Força Tática e pelo BPTran.

Os jurados também já chegaram ao local, mas a defesa do réu ainda não se apresentou. O horário certo para o início do julgamento ainda não foi decidido. 

Além da polícia, dois juízes foram enviados a Parnaíba para dar apoio ao julgamento. Atualmente detido na penitenciária mista de Parnaíba, Correia Lima é acusado de mandar matar em 1987 o policial civil Evandro Safanelli, que seria namorado da filha do então capitão, supostamente contrário ao relacionamento.

Apontado como chefe do crime organizado no Piauí, ele será submetido ao Tribunal Popular do Júri. A defesa do ex-coronel tentou suspender o julgamento com recurso junto ao Supremo Tribunal Federal, mas não teve êxito. 


Nos últimos dias foram divulgadas imagens de Correia Lima na prisão, conversando com um colega de cela e admitindo que tentou matar o secretário de Segurança Pública, Robert Rios, e o jornalista Arimatéia Azevedo.

Tiago Mendes e Jordana Cury

SEMANA DO IDOSO

No último sábado na Sociedade Cristã João Bosco em parceria com a SEDESC e o Instituto Wanda Horta fizeram um ótimo trabalho social e comemoração a SEMANA DO IDOSO.

Visando o bem-estar do idoso foram emitidos PASSE LIVRE MUNICIPAL, MEDIÇÃO DE PRESSÃO ARTERIAL, ALONGAMENTOS COM A PROFESSORA FABÍOLA e foi oferecido um ótimo lanche a todos.

Fotos Fumanchú

Criança é arremessada acidentalmente contra um caminhão em Ceilândia O garoto está internado no Hospital de Base em estado gravíssimo

Publicação: 30/09/2013 09:32 Atualização: 30/09/2013 09:42

Uma criança de quatro anos foi acidentalmente arremessada contra um caminhão, em Ceilândia Norte, nesse domingo (29/9). De acordo com a Polícia Civil, a criança era carregada por um adolescente de 16 anos em uma calçada da QNO 13. 

Leia mais notícias em Cidades 

O jovem perdeu o equilíbrio após tentar realizar um giro com a criança. Os dois caíram e o garoto atingiu a carroceria de um caminhão que passava pela pista no momento. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Regional de Ceilândia. A criança foi transferida em estado gravíssimo para o Hospital de Base.

Policial quebra carro, obriga pedestre a beber água de poça e a comer lixo Segundo a Polícia Militar, o agente praticou a ação no período de folga do trabalho. Ele estava armado

Um policial civil foi encaminhado à 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul), após quebrar um carro em frente a uma padaria da cidade, na manhã desta segunda-feira (30/9). Segundo a Polícia Militar, a ação ocorreu durante o período de folga do agente - que estava armado. 

A Polícia Militar informou ainda que o policial abordou um pedestre e o obrigou a comer lixo e a beber água de uma poça d' água. Depois, o agente entrou na panificadora e rendeu o dono do estabelecimento com uma arma.

Leia mais notícias em Cidades

Segundo o proprietário da padaria, o homem estava alterado. "Ele pediu um suco, o cliente estava alterado. Depois mandou servir um café e ordenou que eu e mais dois funcionários subíssemos até a câmara fria da padaria. Ele apontou a arma na nossa direção, jogou um galão de Ketchup na minha cabeça, pediu para eu tirar as roupas e mandou eu beijar os pés dos funcionários." O dono do estabelecimento informou que a ação durou aproximadamente 20 minutos. "Elejogou a comida no chão e pisou no alimento. Chegou a puxar o gatilho da arma, mas não disparou; acho que estava sem munição. Foi Horrível!. Ficamos lá por cerca de 20 minutos",disse. 

A Polícia Civil informou que o carro quebrado era do próprio agente. A PC não confirma o restante da história relatada, mas disse que a ocorrência foi encaminhada à Corregedoria da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), para a apuração disciplinar da conduta do policial.

Correio Brasiliense

Fim de semana com 18 assassinatos

Na tarde de sábado, um torcedor e membro da TUF foi morto nas proximidades do Estádio Presidente Vargas. Era Francisco Johny Nazareno FOTO: FERNANDO RIBEIRO
Dezoito pessoas foram assassinadas na Grande Fortaleza no fim de semana. Os crimes ocorreram entre as 18 horas da última sexta-feira e a noite de ontem. No entanto, o balanço definitivo da violência no período somente será concluído na manhã desta segunda-feira.

Entre os crimes de morte, um deles teve como vítima o vigilante Antônio Juraci Silva, 28, que foi assassinado, a tiros, na noite de último sábado, quando estava nas proximidades da residência dele, na Rua Debora Vieira, bairro Picuí, em Caucaia.

Sem defesa

Segundo familiares do vigilante e testemunhas do crime, dois homens, em uma motocicleta, se aproximaram. O garupeiro sacou a arma e efetuou os disparos, sem dar à vítima a menor chance de defesa.

A vítima trabalhava em uma escola pública, no entanto, segundo a Polícia, não há informações concretas de que Juraci Silva foi assassinado por conta da profissão. Os familiares do vigilante garantiram que Juraci Silva, em momento algum, reclamou por estar sendo ameaçado de morte.

Outros crimes

Também na noite de sábado, o desempregado Wesley Ferreira do Nascimento, 23, foi assassinado, com vários tiros na cabeça. O crime aconteceu na Avenida Coronel Carvalho, defronte ao número 1260, na Barra do Ceará, bairro localizado na Zona Oeste da Capital cearense.

As informações passadas aos policiais que foram a local dão conta que o jovem foi cercado por várias pessoas e depois um desses desconhecido atirou várias vezes contra a cabeça da vítima. Em seguida, o bando fugiu.

Durante os exames preliminares, realizado pela equipe da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), foram encontradas a carteira de Identidade da vítima e uma pequena quantidade de maconha.

No Morro do Castelo Encantado, no Mucuripe, um homem de aproximadamente 35 anos, foi vítima de atentado a bala. Os tiros atingiram o homem nos braços e pernas.

Mesmo lesionado, o homem desceu o morro e caiu no entroncamento das avenidas Beira-Mar com Abolição, próximo do Mercado dos Peixes. Ninguém passou informações sobre a identidade da vítima, no entanto disseram que, no início deste ano, ela sofreu um atentado semelhante, sendo atingida na boca.

Balanço

Segundo a Polícia, os crimes de morte durante o fim de semana passado aconteceram nos seguintes bairros e Municípios, Presidente Vargas, Capuã (Caucaia), Joaquim Távora, São Bento (Pacatuba), Sapiranga, Papicu, Granja Lisboa, Luciano Cavalcante, Passaré, Barra do Ceará (dois crimes), Picuí (Caucaia), Messejana, Planalto Ayrton Senna, Caucaia (Centro), Aquiraz e Maranguape. Entre as vítimas dos crimes, foram identificadas as seguintes pessoas, Tamires Alves Aprígio, Francisco Iranilson da Silva Rafael, Jônathas Gonçalves Hildembergue (PM), Francisco Kauê Oliveira Mariano, Vítor Ferreira da Silva, Rafael dos Santos Oliveira, Raimundo Vale Mesquita, Álysson Pacheco de Lima, Leandro Júnior Martins, Wellington de Sousa Rodrigues, Francisco Johny Ferreira Nazareno (torcedor morto nas proximidades do Estádio PV) Antônio Juraci Silva Mendonça, Wesley Ferreira do Nascimento e Francisco Jorge Araújo da Silva Júnior.

DHPP já identificou suspeito de matar PM

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já identificou um dos bandidos envolvidos na morte do policial militar Jônathas Gonçalves Hildembergue, 30, assassinado, a tiros, na noite de sexta-feira passada. O crime ocorreu na esquina das ruas Castro Alves e Ana Bezerra, no bairro Joaquim Távora.

O novo diretor daquela Especializada, delegado Luiz Carlos Dantas, comandou pessoalmente as primeiras investigações de campo. Dantas esteve no local do crime e coordenou o trabalho de duas equipes de inspetores e escrivães da DHPP na coleta de provas na cena do crime.

Pistas

Ainda no local do assassinato, a Perícia Forense encontrou, pelo menos, 10 cápsulas de cartuchos de calibre 380. Uma pistola do mesmo calibre foi encontrada a poucos metros do corpo do PM.

Exame pericial feito no corpo do militar ainda no local do crime constatou cerca de 15 ferimentos a bala. Para a Polícia, o PM, mesmo já baleado, conseguiu sacar sua arma e trocou tiros com os criminosos. Um deles teria ficado ferido. Os assassinos fugiram do local em um Gol preto com o apoio de uma moto.

A princípio, a DHPP descartou a hipótese de uma tentativa de assalto. No entanto, no decorrer das investigações surgiram indícios de que o PM teria sofrido uma tentativa de roubo e decidiu reagir, passando a trocar tiros com os criminosos.

A identidade do suspeito está sendo mantida em sigilo. O delegado Dantas informou que o endereço do provável assassino foi localizado durante o fim de semana, mas ele está foragido.


Fonte: DN

CONCISTORO PER IL VOTO SULLE CAUSE DI CANONIZZAZIONE DEI BEATI GIOVANNI XXIII E GIOVANNI PAOLO II, 30.09.2013

[B0618]

CONCISTORO PER IL VOTO SULLE CAUSE DI CANONIZZAZIONE DEI BEATI GIOVANNI XXIII E GIOVANNI PAOLO II
Questa mattina, alle ore 10, nella Sala del Concistoro del Palazzo Apostolico Vaticano, durante la celebrazione dell’Ora Terza, il Santo Padre Francesco ha tenuto il Concistoro Ordinario Pubblico per la Canonizzazione dei Beati:
- Giovanni XXIII, papa
- Giovanni Paolo II, papa.
Nel corso del Concistoro, il Papa ha decretato che i Beati Giovanni XXIII e Giovanni Paolo II siano iscritti nell’Albo dei Santi il 27 aprile 2014, Domenica II di Pasqua, della Divina Misericordia.
[01384-01.01]
[B0618-XX.01]

Tradução

Consistório para a votação das CAUSAS de canonização do Beato João XXIII e João Paulo II, 30.09.2013

[B0618]

Consistório para a votação das CAUSAS de canonização do Beato João XXIII e João Paulo II
Esta manhã, às 10 horas, na Sala do Consistório do Palácio Apostólico Vaticano, durante a celebração da Terceira Hora, o Santo Padre Francis realizou o Consistório Ordinário Público para a canonização do Beato:

-João Paulo II e João XXIII, o Papa
Karol Wojtyla e Angelo Giuseppe Roncalli serão declarados santos (Montagem de fotos: Plinio Lepri/AFP e Wikipedia/Reprodução)

- João Paulo II, o papa.



Durante o Consistório, o Papa decretou que o Beato João XXIII e João Paulo II estão inscritos entre os santos 27 de abril de 2014, segundo domingo de Páscoa, a Divina Misericórdia.

[01384-01.01]

[B0618-XX.01]

domingo, 29 de setembro de 2013

SAÚDE

Reflitam!!!

Candidata do Mato Grosso é eleita Miss Brasil 2013

Yahoo Mulher 
Jakelyne de Oliveira, candidata do Mato Grosso, foi escolhida Miss Brasil 2013, na noite de sábado, 28.
A bela de 20 anos ganhou fama no concurso por ser parecida com a atriz Bruna Marquezine. Modelo e estudante, a beldade é natural da cidade de Rondonópolis.

Leia também:
Os escândalos das misses ao redor do mundo!

Conheça as misses que assumiram a cirurgia plástica

Tem muita miss que já foi sister!

Emocionada, a Miss Mato Grosso recebeu a faixa das mãos de Gabriela Markus, Miss Brasil 2012.

Em segundo lugar ficou a candidata de Minas Gerais, Janaína Barcelos; seguida por Priscila Santiago, da Bahia. Ambas embarcam com tudo pago, rumo a um dos destinos mais badalados do México, a Riviera Nayarit.

A 59ª edição do Miss Brasiil foi realizadoano Minascentro, em Belo Horizonte, com apresentação de Renata Fan e Sério Marone.

A noite

O Miss Brasil 2014 teve inspiração nas riquezas de Minas Gerais, o que pôde ser visto no desfile de gala das beldades, que usaram peças do estilista mineiro Alexandre Dutra. As misses também desfilaram em outros trajes diferentes: típico, casual, biquíni e maiô.

Durante a noite, foram definidos alguns títulos. Miss Goiás levou o prêmio de melhor traje típico. A fantasia de Sileimã Pinheiro representou a cultura e riqueza dos Carajás em modelito elaborado pelo estilista Bruno Oliveira.

No palco da festa, as candidatas mostraram a coreografia elaborada pelo famoso dançarino e coreógrafo americano Michael Schwandt, que trabalhou como consultor criativo para estrelas internacionais como Katy Perry e Lady Gaga.

As finalistas

No início da noite, foram definidas 14 candidatas escolhidas pelo júri para seguir o concurso. A 15ª finalista foi apontada pelo público através de votação pela internet. Após alguns desfiles, o júri artístico escolheu as 10 semifinalistas.

Em uma das etapas finais, cinco misses foram escolhidas e passaram por uma prova que analisou a simpatia, inteligência e oratória. Cada uma respondeu a uma pergunta sorteada na hora. Nessa fase, mostrou-se a preferência do público pela Miss Minas Gerais, que foi ovacionada durante sua resposta. “As escolas devem ensinar mais amor”, disse durante sua sabatina.

O júri técnico era composto por Gabriela Fagliari, diretora de projetos da Enter; Kátia Lage, assessora de comunicação da Prominas; Michael Schwandt, coreógrafo; Pedro Muraro, designer de joias, e Viviani Negocia, coordenadora de projetos da Enter.

Júri artístico, por sua vez, continha nomes conhecidos do grande público: Sabrina Sato, apresentadora e repórter; Talytha Pugliesi, top model; Rita Batista, apresentadora; Matheus Massafera, stylist e apresentador; Vitor Dzenk, estilista; Tancredo Augusto Tolentino Neves, presidente da Prominas; Paulo Borges, diretor criativo da São Paulo Fashion Week e da Fashion Rio; Paulo César Oliveira, colunista social e Jacqueline Meirelles, empresária e Miss Brasil 1987.

Veja a classificação do concurso:

TOP 3
Miss Bahia
Miss Mato Grosso
Miss Minas Gerais

TOP 5
Miss Paraná
Miss Mato Grosso
Miss Bahia
Miss São Paulo
Miss Minas Gerais

TOP 10
Miss Bahia
Miss Ceará
Miss Mato Grosso
Miss Minas Gerais
Miss Paraná
Miss Pernambuco
Miss Rio Grande do Norte
Miss Rio Grande do Sul
Miss São Paulo
Miss Sergipe

TOP 15
Miss Sergipe
Miss Rio Grande do Sul
Miss Bahia
Miss Espírito Santo
Miss Santa Catarina
Miss Pará
Miss Pernambuco
Miss Rio Grande do Norte
Miss São Paulo
Miss Paraná
Miss Mato Grosso
Miss Rio de Janeiro
Miss Ceará
Miss Minas Gerais
Miss Mato Grosso do Sul

Monstruosidade : Filho atropela e mata mãe


O professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em Arapiraca, identificado como Fábio Augusto Antea Rotilli, de 33 anos, assassinou a própria mãe, Alda Marina Antea, de 62 anos, no fim da tarde de quarta-feira (18), na BR-316, município de Satuba, região da Grande Maceió.

Com seu New Beatle preto, de placa NLV-2333, de Arapiraca, Rotilli atropelou a mãe e passou sete vezes por cima do corpo da idosa. Uma amiga da vítima, identificada apenas como Rejane, presenciou o crime e conseguiu sair correndo do veículo.

Depois de matar a mãe, o professor seguiu em direção a Maceió pela BR-316. Ao passar pela Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no bairro do Tabuleiro do Martins, em Maceió, Rotilli parou o carro, apresentou-se e confessou o crime.

Sob custódia, o professor concedeu entrevista à reportagem do Tribuna Hoje. Sem demonstrar qualquer sentimento, Rotilli relatou que tentou estrangular a mãe com o cinto de segurança do carro. A senhora teria conseguido se libertar e saiu do veículo.

Nesse momento, Rotilli deu ré e a porta do carro atingiu a senhora, que caiu na rodovia. O professor contou que passou sete vezes por cima do corpo da mãe antes de ir embora. Sobre o motivo do crime, Rotilli disse apensa que nunca havia recebido carinho da mãe.

“Não estou arrependido. Fiz na hora certa. Viver sem amor é muito ruim. Inclusive, se tiver alguma moça interessada, entre em contato comigo”, disse ironicamente o professor. Ele negou que tivesse problemas psiquiátricos e tomasse remédios controlados.

Rotilli disse ainda que é professor da disciplina de Produção do Conhecimento, lecionada na área de Ciências Humanas da Ufal.

Dois rapazes que presenciaram o crime em Satuba foram conduzidos para a PRF e conversaram com a reportagem. Eles contaram que Rotilli deu ré várias vezes no carro para passar por cima da idosa. Antes disso, quando o professor tentava estrangular a mãe, a amiga da idosa saiu correndo do carro para pedir ajuda. Segundo as testemunhas, ela havia entrado em estado de choque e nem sequer conseguia se levantar “por causa da tremedeira”.

Assim como Rejane, Alda morava em Maringá e estava em Maceió apenas para passar alguns dias com o filho. À PM, Rejane contou que Alda havia “dado tudo ao filho”, inclusive o carro usado por Rotilli para matá-la.

O professor foi levado por agentes da PRF para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, no bairro do Farol, onde prestaria depoimento e seria autuado em flagrante por homicídio qualificado.


*As informações são do TERRA

Ao Correio, Lula diz estar pronto para a campanha de Dilma em 2014 Quase três anos fora do Planalto, revela em detalhes a dificuldade de "desencarnar" do cargo e, pela primeira vez, fala sobre a investigação envolvendo a ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo

Publicação: 29/09/2013 07:59 Atualização: 29/09/2013 17:25

'Se houver alguém que se diz lulista e não dilmista, eu o dispenso de ser lulista', diz o ex-presidente (Luludi/Esp. CB/D.A Press)
"Se houver alguém que se diz lulista e não dilmista, eu o dispenso de ser lulista", diz o ex-presidente

São Paulo A casa discreta no tradicional bairro do Ipiranga em nada lembra os palácios de Brasília mas seu principal inquilino ali trabalha cerca de 10 horas por dia, com a mesma disposição que, nos oito anos em que governou o Brasil, extenuava auxiliares - hoje reduzidos a uma pequena equipe.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva levanta-se em São Bernardo do Campo às seis horas da manhã, faz duas horas de exercícios físicos, toma café e chega ao instituto que leva seu nome por volta das 9h, raramente saindo antes das 20h. Ali recebe políticos, empresários, sindicalistas, intelectuais, agentes sociais e personalidades em busca de seu apoio a uma causa ou projeto. Quase três anos após deixar a Presidência e depois da vitória contra o câncer, Lula declara-se completamente "desencarnado" do cargo e com a saúde restaurada, o que a voz, agora limpa das sequelas do tratamento, confirma.

Por telefone, ele é alcançado também por interlocutores de diferentes países, por convites para viagens e palestras no Brasil e no exterior. No ano que vem, o ritmo vai cair, pois ele vai ajudar, "como puder", na campanha da sucessora Dilma pela reeleição. "Se ela não puder ir para o comício num determinado dia, eu vou no lugar dela. Se ela for para o Sul, eu vou para o Norte. Se ela for para o Nordeste, eu vou para o Sudeste", disse o ex-presidente.

Nas instalações simples da casa no Ipiranga, o que denuncia o inquilino são as fotografias nas paredes, de momentos especiais da Presidência, selecionadas pelo fotógrafo Ricardo Stuckert, que continua a seu lado, assim como os assessores Clara Ant, Luiz Dulci e Paulo Okamoto. Na sala de trabalho, em vez das cigarrilhas, chicletes sabor canela. Foi lá que, na quinta, 26, Lula recebeu o Correio para uma entrevista de duas horas em que não parou de falar. Da vida no poder e fora dele, da disputa eleitoral do ano que vem, passando por espionagem, Mais Médicos, mensalão e novos partidos. 

Lula também falou, pela primeira vez, sobre a Operação Porto Seguro, a investigação da Polícia Federal, que revelou um esquema de favorecimentos em altos cargos do governo federal e provocou a demissão de Rosemary Noronha, a ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo. E disse ter saudades de Brasília: "O nascer e o pôr do sol no Alvorada são inesquecíveis".

Considerado um eleitor de 58 milhões de votos por conta do total de apoios conquistados na última eleição que disputou, em 2006, Lula confessou, sem dissimulação, que deixar o poder foi "como se me tivessem desligado da tomada". E que não foi fácil aprender a ser ex-presidente. Para evitar a tentação de dar palpites sobre o novo governo, disse que decidiu visitar 32 países nos primeiros 10 primeiros meses de 2011, até que o câncer foi descoberto, no dia de seu aniversário, 27 de outubro.

Vencido o calvário do tratamento, ele voltou à rotina no Instituto, vacinou-se contra o "Volta Lula", antecipando o lançamento da candidatura Dilma, e agora se prepara para mais uma campanha eleitoral. Ele acha que a presidente será reeleita, lamenta o desenlace da aliança com Eduardo Campos, embora reconheça as qualidades do governador para a disputa, evita especular sobre o destino dos votos de Marina Silva, caso ela saia da corrida, e parece revelar preferência por José Serra como adversário tucano, ao dizer que o PSDB terá mais trabalho para tornar Aécio Neves conhecido. Uma contradição com o que ele mesmo fez, ao lançar uma também desconhecida Dilma como candidata em 2010. Uma coisa é certa. "Desencarnado" e em plena forma, Lula será um "grande eleitor" em 2014.


Clique nas setas (abaixo) e navegue na imagem multimídia


Deixar de ser presidente trouxe alívio ou pesar?
Não é fácil falar sobre isso. Eu achava que seria simples deixar a Presidência. O (João) Figueiredo, que saiu pela porta dos fundos, até pediu para ser esquecido. Quando a pessoa não sai bem, quer esquecer mesmo. Mas eu saí no momento mais auspicioso da vida de um governante. Eu brincava com o Franklin (Martins): se eu ficar mais alguns meses, vou ultrapassar os 100% de aprovação. Foi como se me desligassem de uma tomada. Num dia você é rei, no outro dia não é nada. Depois de entregar o cargo, cheguei a São Bernardo e havia um comício, organizado por amigos e pessoas do sindicato. O Sarney me acompanhou. Antes, visitei o Zé Alencar, choramos juntos. Eu fiquei danado da vida porque achava que ele devia ter ido à posse e subido a rampa de maca, mas os médicos não deixaram. Participei do comício e quando deu 11 horas da noite eu subi para o apartamento. Ao me despedir dos que trabalharam comigo na segurança e voltariam a Brasília, o general me disse: "Olha presidente, daqui a três dias os celulares da Presidência serão desligados e os carros serão recolhidos". Mas levaram apenas três minutos para me desconectarem. Este é o lado hilário da coisa. Mas ser ex-presidente é um aprendizado sobre como se comportar, evitando interferir no novo governo. Quem sai precisa limpar a cabeça, assimilar que não é mais presidente. Mas é difícil sair de um dia a dia alucinante, acordar de manhã e perguntar: e agora? 

Mas como conseguiu resolver o "desligamento"?
Entre março de 2011 e a descoberta do meu câncer, em outubro, eu fiz 36 viagens internacionais, visitei dezenas de países africanos e latino-americanos. Eu queria ficar fora do Brasil para vencer a tentação de ficar dando palpites. Decidi voltar para o Instituto, que eu já tinha, e comecei a trabalhar aqui. No dia do meu aniversario fui levar a Marisa para fazer um exame mas acabaram descobrindo o câncer em mim. E aí foi um ano de tortura. Nunca pensei que fosse tão difícil fazer quimioterapia e radioterapia. A doença, a internação, o fato de não poder falar ajudaram no desligamento. Fui desencarnando e hoje isso está bem resolvido na minha cabeça. Este ano, no evento dos 10 anos de governos do PT, quando eu disse que a Dilma era minha candidata, eu queria tirar de vez da minha cabeça a história de voltar a ser candidato. Antes que os outros insistissem, antes que o PT viesse com gracinhas, antes que os adversários da Dilma viessem para o meu lado, eu resolvi dar um basta e fim de papo. 

Mesmo com eventuais "Volta Lula", com manifestações, crises?
Mesmo. Hoje há pessoas defendendo o fim da reeleição. Eu sempre fui contra a reeleição mas hoje posso dizer que ela é um beneficio, uma das poucas coisas boas que copiamos dos americanos. Em quatro anos, você não consegue realizar uma única obra estruturante no pais. Depois, o eleitor pode julgar o governante no meio do período. Bush pai não se reelegeu, Carter não se reelegeu. Mas foi bom para os Estados Unidos o Clinton ter governado oito anos. 

O senhor não ficou tentado a buscar o terceiro mandato, quando o deputado Devanir apresentou aquela emenda?
Eu fui contra. Chamei o partido e disse: não quero brincar com a democracia. Se eu conseguir o terceiro, amanhã virá alguém querendo o quarto, o quinto. Sou amplamente favorável à alternância no poder, de pessoas e de segmentos sociais. Comigo, pela primeira vez um operário chegou à presidência. Com a Dilma, a primeira mulher. Quer mais mudança do que isso? Quero que o povo continue mudando. Para errar ou acertar, não importa.

Deixar o poder traz mais liberdade?
Eu nunca tive liberdade, nem antes nem depois. Fiquei oito anos em Brasília sem ir a um restaurante, a um aniversario, a um casamento, porque tinha medo daquele mundo futriqueiro de Brasília. Mesmo hoje, prefiro passar o final de semana em casa, de bermudas.

Mas afora os problemas do poder, alguma saudade de Brasília?
Olha, o nascer e o pôr do sol no Alvorada são para mim inesquecíveis. Todos os domingos de manhã, eu e Marisa pescávamos. Há um lago no Torto, outro no Alvorada, e há o Lago Paranoá. Houve um dia em que a Marisa pegou 26 tucunarés, ali no píer onde fica o barco da Presidência. Disso eu tenho saudade. Não pude conviver, por precaução minha. Mas o céu de Brasília é muito bonito. O clima é extraordinário, o padrão de vida do Plano Piloto é invejável. Não é mais aquela cidade criticada porque não tinha esquinas. O povo soube fazer suas esquinas.

O que considera como mudanças importantes deixadas por seu governo?
As coisas que foram feitas, se em algum momento foram negadas, a verdade foi mais forte que a versão. A ONU acaba de reconhecer, com dados irrefutáveis, que o Brasil foi o pais que mais combateu e reduziu a pobreza nos últimos 10 anos. Eu queria provar que quando o Estado assume a responsabilidade de cuidar dos pobres, isso tem efeitos. Tenho muito orgulho de ter sido um presidente que, sem ter diploma universitário, foi o que mais criou universidades no Brasil, o que mais fez escolas técnicas, o que colocou mais pobres na universidade... Já houve presidentes da República que tinham diplomas e mais diplomas, fizeram muito pouco pela educação. Nós provamos que era possível fazer porque decidimos que educação não era gasto, era investimento. A outra coisa de que muito orgulho é de ter sido o primeiro presidente que fez com que o povo se sentisse na Presidência. 

E o quê o senhor considera o maior erro de seu governo?
Certamente cometi muitos erros. Os adversários devem se lembrar mais deles do que eu. Mas fiz as coisas que achava que poderia fazer. Há quem me pergunte se não me arrependo de ter indicado tais pessoas para a Suprema Corte. Eu não me arrependo de nada. Se eu tivesse que indicar hoje, com as informações que eu tinha na época, indicaria novamente.

E com as informações atuais?
Eu teria mais critério. Um presidente recebe listas e mais listas com nomes, indicados por governadores, deputados, senadores, advogados, ministros de tribunais. E é preciso ter quem ajude a pesquisar e avaliar as pessoas indicadas. Eu tinha o Márcio Tomas Bastos no Ministério da Justiça, o (Dias) Toffoli na Casa Civil... Uma coisa que lamento é não ter aprovado a reforma tributaria, e tentei duas vezes. Hoje estou convencido de que não poderá ser feita como pacote, mas fatiada, tema por tema. Eu mandava um projeto com apoio de todo mundo mas as forças ocultas de que falava o Jânio se apresentavam nas comissões do Congresso e paravam tudo. Eu receava também que segundo mandato fosse repetitivo, com ministros não querendo trabalhar. Foi aí que tivemos a ideia do PAC. Mas acho que poucos conseguirão repetir o que fizemos entre 2007 e 2010. Era o time do Barcelona jogando. Tudo fluiu bem. Posso ter errado mas não tenho arrependimentos. Tenho frustração de não ter feito mais. 

Voltando à indicação dos ministros do STF. Hoje, se o senhor pudesse voltar no tempo...
Nem podemos pensar nisso. Eu não sou mais presidente, eles já estão indicados e irão se aposentar lá.

O senhor continua fazendo palestras?
Tenho feito mas vou reduzir. No ano que vem vou me dedicar um pouco à campanha. Vocês sabem que um ex-presidente da Republica não tem aposentadoria. Não tendo aposentadoria de outra origem, terá que ser mantido pelo partido dele ou terá que se virar. Mas você só é convidado para fazer palestras se tiver sido exitoso no governo. O Fernando Henrique inovou e passou a fazer palestras. O PT ofereceu-me um salário e eu agradeci. Eu mesmo ia tratar da minha sobrevivência.

 (Luludi/Esp. CB/D.A Press)


O que acha das criticas de que existiria conflito de interesses quando as empresas têm contratos com o governo?
Acho uma cretinice. Primeiro porque não faço nada além do que eu fazia como presidente. Eu tinha orgulho de chegar a qualquer pais e falar da soja, do etanol, da carne, da fruta, da engenharia, dos aviões da Embraer... Eu vendia isso com o maior prazer do mundo. Com orgulho. Eu achava que isso era papel do presidente da Republica. Quando Bush veio aqui, fomos a um posto que vendia etanol. E havia lá um carro da Ford e outro da GM. Chamei o Bush para tirarmos uma foto e ele disse que não podia fazer merchandising de carro americano. Só que ele estava com um capacete da Petrobras na cabeça. Eu falei: "Então fica você aqui que eu vou lá". Se eu puder vender as empresas brasileiras na Nigéria, no Catar, na Líbia, no Iraque, na África, eu vou vender. Estas críticas também refletem o complexo de vira-lata. É não compreender o sentido disso. Tenho orgulho de saber que quando cheguei à Presidência não havia uma só fabrica brasileira na Colômbia e hoje existem 44. Havia duas no Peru e hoje são 66. De termos ampliado nossa presença na Argentina ou na África. Se não formos nós, serão os chineses, os ingleses, os franceses. E não são apenas empresas de engenharia. Hoje temos fábrica de retro virais em Moçambique, SENAI e escolinhas de futebol do Corinthians em mais de 13 países africanos. Agora mesmo me pediram para tentar levar o vôlei para a África, onde o esporte não existe. E vou ajudar com o maior prazer. Só não vou jogar porque tenho bursite. Mas veja a malandragem. Todas as empresas, inclusive as de jornais e de televisão, têm lobistas em Brasília. Mas são chamados de diretor corporativo ou institucional. Agora, se alguém faz pelo pais, é lobista. Faz parte da pequenez brasileira. Veja o caso da Copa do Mundo. Todo país quer sediar uma Copa do Mundo. O Brasil não pode. Ah, porque temos problemas de saúde e moradia! Todos os países têm problemas, e por não pode ter Copa do Mundo e Olimpíada? E o quanto uma nação ganha com isso, do ponto de vista cultural, do ponto de vista do desenvolvimento? Qual é a denúncia contra as obras?

Nos protestos, a crítica era ao custo das obras...
Ora, se em 1960 o Brasil pôde fazer um estádio para a Copa do Mundo, em 2013 não podemos fazer outros? Pergunto qual é a denuncia? Eu deixei dois decretos, um sobre a Copa outro sobre a Olimpíada, que estão no site da CGU. Perguntem ao Jorge Hage onde tem corrupção na Copa. O TCU designou um ministro, o Valmir Campelo, encarregado de fiscalizar especificamente os gastos com a Copa. Perguntem a ele onde há corrupção. A Copa está marcada e tem que ser feita com a maior grandeza. Se alguém praticar corrupção, que seja posto na cadeia. Já conversei com os patrocinadores sobre a necessidade de uma narrativa diferente para a Copa do Mundo. Vi na TV pessoas chorando no Japão, que vai sediar uma Olimpíada. E vi um jornalista dizer que tudo bem, o Japão está retomando o crescimento, diferentemente do Brasil, que ainda é pobre. Então Olimpíada é só para países doG-8? E ainda que fosse, o Brasil está no G-6. Não me conformo com o complexo de vira lata e com o denuncismo infundado. Precisamos de uma lei que puna também o autor de denúncia falsa. 

Falando nas manifestações, o que mudou com elas no Brasil?
Eu acho que fizeram muito bem ao Brasil. Com exceção dos mascarados. Todas as reivindicações que apresentaram, um dia nós também pedimos. Veja o discurso de (Fernando) Haddad na campanha de São Paulo: "Da porta da casa para dentro a vida melhorou, mas da porta para fora ainda precisa melhorar." Hoje muito mais gente anda de carro mas o transporte público não melhorou. Eu andava de ônibus lotados como latas de sardinha em 1959, e continua a mesma coisa. O Haddad agora me disse: "Precisando de tanto dinheiro, conseguimos reduzir em 50 minutos o tempo de viagem só com latas de tinta". As faixas exclusivas para ô ônibus tiveram uma aprovação de 93% das pessoas. O povo nos disse o seguinte: "Já conquistamos algumas coisas e queremos mais". As pessoas querem mais, mais salário, mais transporte, melhorarias na rua, e isso é extraordinário. Nem dá mais para ficar dividindo tarefa: isso é com o prefeito, isso com o governador, aquilo com o presidente. Agora é tudo junto. 

Haddad não errou, quando demorou a recuar na tarifa?
Houve muita gente ponderando para o Haddad que era preciso recuar. Se ele tivesse dado o aumento em janeiro, não tinha acontecido o que aconteceu. Ele e o prefeito do Rio foram convencidos de que, adiando o aumento, ajudariam no controle da inflação. Eles concordaram e tudo caiu nas costas deles. Meu primeiro movimento foi mostrar ao Haddad que aquilo não era contra ele, que ainda estava muito novo no cargo: "Haddad, levante a cabeça, tira proveito disso, que bom que o povo esta se manifestando". Acho que ele demorou uns dois ou três dias mas foi correto. E o transporte é caro mesmo... Enfim, as manifestações nos ensinaram que o desejo do povo de mudar as coisas é infinito. Nós todos queremos sempre mais. Quem consegue um aumento de 10% nos salários e logo depois quer outro. Quem consegue comprar carne de segunda passa a querer carne de primeira. Tínhamos 48 milhões de pessoas que andavam de avião em 2007. Em 2012, eram 103 milhões. Hoje tem gente que entra no avião e não sabe nem guardar a mala. Alguns acham isso ruim. Eu acho ótimo. Tem mais gente indo a restaurantes, a museus, a institutos de beleza, e isso é um bom sinal. A única coisa que eu critico é a negação da política. Ela sempre resulta em algo pior, como o fascismo, o nazismo. Tenho dito ao PT para enfrentar o debate. Vamos perguntar aos tucanos por que eles derrotaram a CPMF, tirando 40 bilhões da saúde por ano em meu governo, achando que iam me prejudicar. E eu disse: quem vai pagar é o povo.

 (Luludi/Esp. CB/D.A Press)


E o programa Mais médicos, é uma boa solução?
É uma coisa fantástica mas vai fazer com que o povo fique ainda mais exigente com a saúde. O sujeito vai subir o primeiro degrau. Vai ter um médico que vai lhe pedir os primeiros exames, e a saúde vai ser problema outra vez. Discutir saúde sem discutir dinheiro, não acredito. E não adianta dizer, como fazem os hipócritas, que o problema é só de gestão. Chamem os 10 melhores gestores do planeta e perguntem como oferecer tomografia, ressonância, tratamento de câncer, sem dinheiro. O hipócrita diz: "Eu pago caro por um plano de saúde, porque o SUS ao me entende". Mas quando ele vai fazer a declaração de renda, desconta tudo do imposto a pagar. Então quem paga a alta complexidade para ele é o povo brasileiro. E aí vem a FIESP fazer campanha para acabar com a CPF. Não foi para reduzir custos mas para tirar do governo o instrumento de combate à sonegação.

O Mais Médicos é uma marca de governo para Dilma?
Os médicos brasileiros que protestaram sabem que cometeram um erro gravíssimo. O (Alexandre) Padilha tem dito, corretamente: "Não queremos tirar o emprego de médico brasileiro. Queremos trazer médicos para atender nos locais onde faltam médicos brasileiros". Em vez de protestar, eles deveriam ter feito um comitê de recepção aos colegas estrangeiros. E Deus queira que um dia o Brasil forme tantos médicos que possa mandar médicos os para um pais africano. É admirável que um pais pequeno como Cuba, que sofre um embargo comercial há 60 anos, tenha médicos para nos ceder. Hoje há maquinas que descobrem o câncer com menos de um milímetro. Mas quantos têm acesso a isso? Saúde boa e barata e não existe, alguém tem que pagar a conta. Num país em construção, como o nosso, sempre haverá protestos. Temos de consolidar a democracia, sabendo que ela não pode ser exercitada fora da política. Tem gente que diz "eu não sou político" e começa a dar palpite na política. Esse é o pior político. Como eu fui ignorante, dou meu exemplo. Em 1978, no auge das greves do ABC, eu achava o máximo dizer: "Não gosto de política nem de quem gosta de política". A imprensa paulista me tratava como herói. Eu era "o metalúrgico". Dois meses depois, eu estava fazendo campanha para Fernando Henrique, que disputava o Senado por uma sublegenda do MDB. Dois anos depois, eu estava criando um partido político. Ninguém deve ser como o analfabeto político do Bertolt Brecht. Não se muda o país sem política.

Sua participação na campanha da Dilma agora será diferente da que teve em 2010?
Tem de ser diferente. Em 2010 a Dilma não era conhecida. Fizemos uma campanha para que ela se tornasse conhecida, e para mostrar ao eleitor o grau de confiança que eu tinha nela. Obviamente que depois de quatro anos de governo a Dilma passou a ser muito conhecida e conseguiu construir a sua própria personalidade. Então já tem muita gente que vai votar na Dilma independentemente do Lula pedir. Naquilo que eu tiver influência, nas pessoas que eu tiver influência, eu vou pedir para votar na Dilma. O que eu vou fazer na campanha depende dela. Eu não quero estar na coordenação, eu quero ser a metamorfose ambulante da Dilma. Estou disposto. Se ela não puder ir para o comício num determinado dia, eu vou no lugar dela. Se ela for para o Sul, eu vou para o Norte. Se ela for para o Nordeste, eu vou para o Sudeste. Isso quem vai determinar é ela. Eu tenho vontade de falar, a garganta está boa. Eu estou com mais disposição, mais jovem. Apesar da idade, eu estou fisicamente mais preparado. Estou com muita saudade de falar. Faz tempo que eu não pego um microfone na rua para falar. Conversar um pouco com o povo brasileiro. Vou ajudar. Se for importante ficar quieto, eu vou ficar quieto. A única que coisa que eu não vou fazer é cantar, porque eu sou desafinado, mas no resto, ela pode contar comigo.