FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Polícia identifica suspeito de atirar em estudante durante jogo no Saci

Equipes de investigação do 4º Distrito Policial de Teresina identificaram um suspeito de ter dado início a troca de tiros na zona Sul de Teresina, logo após ao jogo da seleção brasileira no último sábado (28), que resultou em uma pessoa ferida.
O estudante de engenharia Ruan Pedreira, 21 anos, foi alvejado com um disparo de arma de fogo na cabeça no princípio de tumulto registrado em um bar no bairro Saci. Ele ia ao encontro de amigos que participavam da tradicional festa de comemoração realizada na praça das Palmeiras.
“Estivemos no local hoje conversando com as pessoas. Falamos com o dono do estabelecimento e com o chefe da segurança. Eles contaram que um rapaz entrou no bar com bebida e foi informado que isso não era permitido. Ele foi retirado do local e pouco tempo depois voltou com uma arma já, a princípio, ameaçando os seguranças”, conta o chefe de investigação do 4º DP, Hilton Barbosa.
De acordo com o apurado com as testemunhas, essa situação teria iniciado a troca de tiros. “Já temos a placa do carro que esse suspeito andava, que não vamos divulgar por questão de segurança e para não prejudicar as investigações”, revelou o agente da Polícia Civil do Piauí.
“O acusado andava em um carro, de cor prata, e estaria acompanhado de uma mulher loira. Os dois teriam menos de 30 anos. A bala que atingiu o rapaz, a princípio, seria de uma pistola 380, que não é privativa da polícia”, informa o chefe de investigação. 
Hilton Barbosa informa que uma capsula de bala foi encontrada por um dos seguranças do espaço. O dono do estabelecimento informou que o profissional que estava de plantão no dia da troca de tiros deve entregar o artefato já nos próximos dias à polícia. 
Ruan Pedreira está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da rede privada de Teresina. Ele está em coma induzido e respirando com ajuda de aparelhos.

Flash Lívio Galeno
liviogaleno@cidadeverde.com

MÁGICA OU BRUXARIA?

PRAÇA MANDU LADINO SERÁ O PONTO DE LARGADA DOS EVENTOS DO FESTIVAL DAS EMOÇÕES 2014

O Festival das Emoções, que teve sua primeira edição realizada com sucesso ano passado, acontecerá no período de 14 a 17 de agosto vindouro, por ocasião dos 170 anos de Parnaíba.


Esta segunda edição amplia a linha esportiva, tendo como ponto de largada a Praça Mandu Ladino (Quadrilhódromo).

Entre as práticas esportivas teremos Atletismo, Kite Surf, Enduro nas Dunas, Ciclismo, Skate, Rally Náutico para Jet Ski, Lanchas, prova de velocidade para quadricíclos, jeeps, bugres e UTV’s.

Fonte: Superintendência de Esporte de Parnaíba.

Acesse: facebook.com/superintendenciadeesporteparnaiba

Motorista é executado com seis tiros em seu veículo na Zona Leste de Manaus De acordo com o pai da vítima, o também motorista Felisbelo Antonio Ferreira Filho, 60, David estava se envolvendo com amigos que tinham ligação com o tráfico de drogas. A vítima era vice-presidente da Cooperativa de Transporte Coletivo (Cooptaf)

ACRITICA.COM

O motorista foi morto e ainda não há suspeitos do crime
O motorista foi morto e ainda não há suspeitos do crime (Winnetou Almeida)
O motorista David Guimarães Ferreira, 32, morreu atingido por seis tiros na noite deste domingo (29) enquanto ele estava dentro do próprio carro, na Rua Girassol, bairro Tancredo Neves, Zona Leste.  Polícia Civil investigava as motivações do homicídio e ninguém tinha sido preso.
De acordo com o pai da vítima, o também motorista Felisbelo Antonio Ferreira Filho, 60, David estava se envolvendo com amigos que tinham ligação com o tráfico de drogas. A vítima era vice-presidente da Cooperativa de Transporte Coletivo (Cooptaf). 
Por volta de 23h30, a vítima aguardava a namorada em frente à casa dela paa ir a igreja quando foi surpreendido pelos disparos na cabeça.
David dava carona para uma mulher grávida e uma criança de seis anos no momento do crime.
A vítima tinha sido assaltada há aproximadamente um mês após voltar da Festa do Cupuaçu, em Presidente Figueiredo,  a 117 km de Manaus. David tentou ajudar os colegas, retirando o veículo de um deles que havia consumido bebida alcoólica e teve o carro retido em uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-174 (Manaus-Presidente Figueiredo). 
 “Ele era uma pessoa extremamente prestativa e, mesmo sabendo que alguns eram envolvidos com o mundo errado, foi ajudar”, disse. Na ocasião, homens desconhecidos teriam roubado um carro e celular da vítima. Segundo Felisbelo Guimarães, pai da vítima, David era muito assediado por companheiros de traficantes e outros devido ao faturamento que atingiu à frente da Cooptaf. “Ele tinha corolla, smartphone, jet sky e outros objetos caros. Tudo isso chamava a atenção”, acrescentou o pai da vítima.
 Testemunhas
 Moradores do bairro Tancredo Neves informaram à Polícia Civil que viram o momento em que um homem, que vestia camisa listrada com mangas compridas, se aproximou do carro de David e fugiu segundos depois sem deixar vestígios.
As testemunhas devem auxiliar nas investigações que ocorrem sob coordenação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).  Na manhã de hoje, alguns dos 58 ônibus do transporte alternativo da Cooptaf trafegaram pelas ruas com pequenas faixa de luto pela morte de David.
* Com informações da repórter Girlene Medeiros

PMDB e PDT ameaçam romper com Wilson Martins

Se o PSB insistir em chapa pura de candidatos a deputado estadual, peemedebistas e pedetistas admitem não votar no ex-governador Wilson Martins para o Senado. É que até agora o PSB, dirigido no Estado por Wilson Martins, não formalizou coligação proporcional com PMDB e PDT na eleição para Assembleia Legislativa. 

tempo real

Prefeitos do PSDB declaram apoio a Wellington Dias



Na primeira viagem ao interior do Estado como candidato a governador, o petista Wellington Dias participou de ato político no município de Cocal, região norte.  


Os candidatos ao governo, Wellington Dias, a vice, Margarete Coelho, e a senador, Elmano Férrer, receberam apoio dos prefeitos de Cocal, Rubens Vieira, e de Piracuruca, Raimundo Alves, ambos filiados ao PSDB.

Em família: mulher mata ex-cunhado depois de tentativa de estupro na Zona Norte Homem tentou estuprar ex-cunhada e acabou morto com sete facadas depois de empreender luta corporal com a mesma

LUCAS JARDIM*

O IML foi até o local removeu o corpo
Adauto estava separado da irmã de Hélida há seis meses (Perla Soares)
Um conto de sangue teve lugar na rua Artemísia (antiga São Paulo), bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus: Adauto Bento da Silva Filho, 31, rumou para a casa de sua ex-cunhada, Hélida Gonçalves dos Santos, 29, localizada na citada rua por volta das 5h deste domingo (29).
De acordo com a Polícia, uma vez lá, Adauto pulou o muro, invadiu a casa e partiu para cima da ex-cunhada com uma faca, com a intenção de estuprá-la. Ele tava encapuzado, mas ela conseguiu puxar o capuz e o reconhecer.
O marido da mulher, Carlos Reis Cardoso, 31, que trabalha como vigilante, chegou do serviço bem na hora e tentou separar os dois, mas Adauto esfaqueou-o na costela. Hélida aproveitou o momento para se desvencilhar e se armar também com uma faca. Ela desferiu seis golpes nas costas e um no braço de Adauto, que foi a óbito no local.
O casal foi ao 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para relatar o ocorrido. Policiais da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram, então, à casa de Hélida e constataram os indícios de veracidade do relato do casal. Adauto foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e Carlos foi levado para tratamento em um hospital da rede pública.
Por ter se apresentado espontaneamente após os fatos e pela situação apresentar indícios de legítima defesa, Hélida responderá pelo crime de homicídio em liberdade.
*com informações da repórter Perla Soares

UFPI divulga lista de convocados no Sisu para o segundo período de 2014 Convocados precisam realizar a matrícula institucional até o dia 2 de julho. Aprovados foram selecionados a partir das notas do Enem de 2013.

Do G1 PI

A Universidade Federal do Piauí divulgou nesta segunda-feira (30) a lista com os candidatos convocados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2014. São 2.192 convocados para fazer a matrícula institucional que seguem até a próxima quarta-feira (2).
Nesta edição do programa, a UFPI disponibilizou vagas em 55 cursos, distribuídos nos cincos campi da instituição pelo estado, nas cidades de Floriano, Bom Jesus, Picos, Parnaíba e Teresina, sendo que foram ofertadas as primeiras 40 vagas no curso de medicina para o campus de Parnaíba, Litoral do Estado. 
Para concorrer às vagas do Sisu, os candidatos precisam participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pois será a partir da nota desse exame que os estudantes poderão disputar as vagas dos cursos de graduação das universidades federais e institutos tecnológicos. Logo, para ter participado dessa convocação, era preciso ter feito o Enem em 2013 e obtido nota acima de zero na redação.

Estandes do São João da Parnaíba começam a ser montados

Cem estandes para comercialização de artesanato, comidas e bebidas típicas no São João da Parnaíba começaram a ser montados na praça Mandu Ladino. A estrutura compreende espaço físico com iluminação, balcão de vendas e espaço em que os comerciantes poderão distribuir mesas e cadeiras para atendimento ao público que visitará o evento no período de 04 a 12 de julho.
 
standsDSC02059
 
A Superintendência de Cultura destaca outro aspecto do período, que é o aquecimento da economia durante o São João da Parnaíba que movimenta diversos segmentos do comércio na cidade.
 
Os espaços serão ocupados por pessoas físicas, comissões de formatura, restaurantes e entidades filantrópicas que foram inscritas e sorteadas a partir do lançamento de edital.
 
standsDSC02063
 

Prefeitura divulga escala de plantões de farmácias e drogarias para o mês de julho

A Prefeitura de Parnaíba, através da Vigilância Sanitária, divulgou circular com a escala de plantões das farmácias e drogarias que entrarão em funcionamento nessa terça feria dia 1º de julho de 2014. A medida visa o cumprimento da Lei Federal 5.991/73 complementada pela Lei Municipal, 2.870 de março de 2014, sancionada pelo prefeito Florentino Neto.
 
Dr luciano
 
A circular estabelece uma escala de rodízio em que no mínimo dois estabelecimentos farmacêuticos fiquem abertos 24 horas, ininterruptas inclusive aos domingos e feriados. Os estabelecimentos deverão abrir das 07h da manhã fechando às 06h59 do dia seguinte, sendo que pelo menos um destes estabelecimentos disponibilize medicamentos de uso contínuo.
 
O diretor da vigilância sanitária, Luciano Oliveira Assunção informou que a medida é uma necessidade em Parnaíba uma vez que a população estava desassistida de farmácia depois da meia noite. “A lei vai determinar que se faça uma escala de rodízio entre as farmácias existentes” completou.
 
Para ter o acesso à escala de plantão, basta acessar o link abaixo ou vistar a página cidadão/saúde deste site.
 

Disque Eleições do Tribunal Regional Eleitoral começa a funcionar na terça

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) lançará nesta terça-feira (1º) o serviço Disque Eleições 2014, implantado desde 2006. 
Para dúvidas e denúncias, os eleitores podem telefonar gratuitamente para 0800 - 007 - 9797.
De acordo com a assessoria do TRE-PI, o serviço funcionará de 1º de julho até o dia 10 de outubro - extendendo-se até de 31 de outubro em caso de 2º Turno nas eleições. 
O serviço será instalado em uma sala do primeiro andar do prédio do TRE-PI em Teresina e funcionará diariamente, de 8h às 19h, inclusive aos sábados, domingos e feriados.
Também serão recebidas denúncias através do email disqueeleicao@tre-pi.jus.br. 
O presidente do TRE-PI, desembargador Edvaldo Moura, em discurso da posse do novo juiz José Wilson Ferreira de Araújo Júnior nesta segunda-feira (30), ressaltou a importância do serviço. 
"É mais um canal de comunicação com a população e servirá tanto para tirar as dúvidas quanto para fazer denúncias. Sua profícua finalidade é disponibilizar aos cidadãos explicações básicas sobre o processo eleitoral e dar celeridade a democratização da informação", declarou Edvaldo Moura. 
Jordana Cury (flash)
Fábio Lima (Da Redação)
redacao@cidadeverde.com

Elmano alfineta Firmino e diz que apoio de prefeitos do PTB a Wilson é "boato"

  • _MG_3895.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3883.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3872.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3864.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3863.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3857.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3856.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
  • _MG_3855.jpg
    Foto: Raoni Barbosa
O candidato ao Senado pelo PTB, ex-prefeito Elmano Férrer, disse hoje (30) que não teme a concorrência do adversário Wilson Martins (PSB) porque terá 90 dias para percorrer o Estado mostrando aos eleitores suas propostas. Em entrevista ao Jornal do Piauí, Elmano ressaltou que o bloco encabeçado por PT, PTB e PP tem um projeto de desenvolvimento para o Estado e alfinetou o prefeito Firmino Filho (PSDB).
Elmano ressalta que seu desempenho tem sido bom nas pesquisas principalmente levando em consideração que o PTB decidiu por sua candidatura há poucos dias, diante da desistência de João Vicente Claudino em disputar a reeleição. "A legislação estabelece um prazo de 90 dias para, em qualquer canto do país, o candidato trabalhar. Creio que esse tempo seja suficiente para levarmos nossa mensagem. O que mais me surpreendeu quando nosso nome foi lançado são as mensagens de solidariedade, de apoio, não só de Teresina, mas especialmente do interior do Estado", declarou.
O bloco da oposição também não teme o tamanho da coligação montada pelo governador Zé Filho (PMDB), com 20 partidos. Para Elmano, a aliança que a oposição busca é com o povo. "A grande aliança é com o povo. Disso Wellington Dias entende muito bem e eu e Margarete [Coelho] também. Acho que a aliança maior é essa, em torno de projetos, ideias de transformação. Wellington foi um grande governador. Nossa plataforma é em cima de projetos, ideias. Não temos problemas na nossa aliança. Na eleição passada, tínhamos muitos partidos do mesmo lado e diziam que tinham formado um blocão. Agora blocão é do outro lado. Estamos identificados com a população em um processo de permanente mudança. Temos um bloco sólido. A imprensa diz que são 20 partidos lá. É claro [que é um blocão]", afirmou.
Elmano comentou que Wilson Martins está se preparando para ser candidato ao Senado há cinco anos, desde quando assumiu o governo, e ele estava preparando uma candidatura a deputado estadual. Porém, mesmo assim, está se saindo bem nas pesquisas de intenção de votos.
O período em que esteve à frente da prefeitura de Teresina e os cargos que assumiu tanto no governo estadual quanto no governo federal contribuíram para a experiência administrativa de Elmano. Ele ressalta que conhece o Piauí e percorrerá todos os 224 municípios levando suas propostas.
Firmino
Durante a entrevista, o ex-prefeito alfinetou o tucano Firmino Filho. "As obras que deixamos estão sendo continuadas todas. São muitas coisas. Não vejo nenhuma obra parada. As obras que estão paradas o pessoal está reclamando. Algumas tiveram problemas como a das galerias, não sei porquê. O que quero do Firmino é que ele faça mais. A galeria não sei o que aconteceu. Muitas coisas estão sendo feitas e espero que seja feita com a grandeza que fizemos", disse.
Apoio de prefeitos
Elmano negou que prefeitos do PTB estivessem declarando apoio a Wilson Martins. "Inclusive, João Vicente reuniu todos os prefeitos do partido e muitos diziam que estavam do outro lado, como também disseram que eu tinha desistido e nunca isso aconteceu. São boatos. Isso vai ter muito daqui até outubro e eu vou me colocar em outro nível. Vou buscar um discurso propositivo, mostrando o que fizemos em Teresina", declarou.
Leilane Nunes
leilanenunes@cidadeverde.com

Aloysio Nunes é escolhido para vice de Aécio

Foto: Beto Nociti/Futura Press/Estadão Conteúdo

O PSDB anunciou nesta segunda-feira (30), após reunião de dirigentes do partido em Brasília, a escolha do senador Aloysio Nunes (SP) como candidato à Vice-Presidência na chapa de Aécio Neves.
Com a decisão, o partido forma uma chapa "puro-sangue" (candidatos a presidente e vice do mesmo partido) e "café com leite" (um mineiro e um paulista) – na República Velha (até 1930), paulistas (produtores de café) e mineiros (de leite) se revezavam na Presidência da República.
A decisão do PSDB visa agregar o partido, já que Nunes é do grupo do ex-governador José Serra, cuja candidatura a presidente chegou a ser cogitada, e também reforçar o nome de Aécio Neves em São Paulo.
Outra opção para vice avaliada pelos tucanos foi a ex-ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Ellen Gracie, em razão da trajetória profissional, do currículo jurídico e por ser mulher.
Mas a maioria dos dirigentes tucanos considerou que a escolha de Aloysio Nunes será capaz de dar maior unidade ao partido.
Ao anunciar o nome de Aloysio Nunes, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse que o senador é o mais preparado para presidir o país em "qualquer eventualidade", além de ser “íntegro” e “honesto”.
“As razões para a escolha de Aloysio, eu resumiria dizendo que não foram as conveniências da campanha, mas sim os interesses do Brasil. Aloysio Nunes não é um homem preparado apenas para ser vice-presidente da República,. É um homem que em qualquer circunstância está preparado para presidir o pais”, disse Aécio Neves.
Aécio Neves anunciou ainda que o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), será o coordenador-geral da campanha dele à Presidência. "É um sinal de forte integração", afirmou.
José Serra
Ao falar após o anúncio, Aloysio Nunes disse que a população brasileira quer mudança. “As condições que vemos hoje apontam um profundo desejo de mudança na sociedade brasileira. O Brasil quer mudar, quer um governo diferente, quer um novo fôlego, novo impulso. E o Aécio conseguiu encarnar este desejo. Aí entra a virtude, a força da vontade, a lucidez, os atributos pessoais.”
Além de fazer uma série de elogios a Aécio Neves, Aloysio Nunes fez referência a José Serra, num esforço de demonstrar a união entre segmentos do PSDB.
“Depois que o Aécio foi eleito presidente da Câmara e teve uma trajetória brilhante que o credencia hoje a ser nosso presidente da República, eu trilhei o caminho do Legislativo. E servi também a esse extraordinário político que é José Serra”, disse.
Aécio Neves também destacou que Serra terá “papel importante” na campanha e disse que o PSDB está “mais unido que nunca ”.
"Serra terá uma participação extremamente importante na campanha. Todos nós, dentro de qualquer partido, temos posições divergentes. Nosso objetivo é iniciar um novo ciclo no Brasil, e José Serra terá um papel muito importante”, afirmou.
Chapa puro sangue
Aécio e Aloysio Nunes foram questionados por jornalistas pelo fato de terem escolhido formar uma chapa "puro-sangue”, com candidatos do PSDB tanto para a Presidência quanto para a vice.
Segundo Aécio Neves, a escolha do senador tucano para a disputa se deu porque ele é o nome que trouxe maior “convergência” aos partidos que formam a coligação.
“Ocorreu a naturalidade da escolha. Aloysio foi indicado vice porque foi o nome que convergiu. Lideranças como Paulinho da Força Sindical [presidente do Solidariedade] apoiaram. Aloysio é maior que o PSDB”, disse. “O PSDB peca há muito tempo por esse defeito, excesso de quadros qualificados”, ironizou.
'Medo'
Os dois tucanos afirmaram ainda que pretendem levar adiante uma campanha marcada pela apresentação de propostas e acusaram o PT de usar a “estratégia de difundir o medo” por não ter “nada novo para mostrar”.
“Tenho couro duro, mas o ódio é uma arma contraproducente.É usado como arma porque Dilma não tem mais nada de novo para oferecer ao Brasil”, afirmou Aloysio Nunes.
“Vamos falar de futuro, de esperança. Vamos deixar o ódio e o medo para nossos adversários”, disse Aécio Neves.
Fonte: G1

Homem é assassinado a tiros em frente a estádio de futebol no PI

Foto: Grandepicos
Um homem identificado como Francisco de Assis Amorim, foi assassinado em frente ao Estádio Municipal Helvídio Nunes de Barros, em Picos, a 306 km de Teresina. O crime ocorreu neste domingo (29) e a vítima foi atingida com pelo menos cinco tiros. 
O acusado ainda não foi identificado e surpreendeu Francisco de Assis que estava em um trailler. 
"Ele parou em uma moto e efetuou disparos contra a vítima. Foram cerca de cinco tiros e a vítima não teve como se defender. O assassino estava com capacete", relatam testemunhas.
De acordo com informações preliminares, Pintor, como era conhecido a vítima seria usuário de drogas, inclusive, com várias passagens pela Polícia Civil. 
O caso será investigado pelo Delegado Regional Antônio Madson que apura se o crime teve relação com o tráfico de drogas ou seria motivado por vingança. 

Com informações Grandepicos
cidades@cidadeverde.com


Margarete Coelho critica chapa governista: "Vai sobrar pouco para o povo"

A deputada estadual Margarete Coelho (PP), candidata a vice-presidente na chapa liderada por Wellington Dias (PT), criticou as composições formadas por um grande número de partidos: "Não sei como uma administração dessa forma pode se organizar".
A declaração foi feita em entrevista ao Notícia da Manhã desta segunda-feira (30). Para ela, o elevado número de alianças na chapa pode atrapalhar a administração. "E assim vai sobrar pouco para o povo", alertou. 
A crítica está relacionada à chapa liderada por Zé Filho (PMDB), candidato à reeleição, que consolidou acordo com 18 partidos políticos.
Apesar da declaração, a candidata a vice garante que sua chapa não irá debater o assunto junto à população. "Temos um projeto interessante para levar à sociedade. Não vamos debater sobre os partidos políticos ou interesses de outras coligações, porque isso já está claro. Não vamos ficar debatendo esse pormenor", afirmou.
A parlamentar ressaltou que o maior desafio da chapa PT-PP-PTB será chegar a cada ponto do Piauí levando sua mensagem. "Vamos olhar olho no olho, mão na mão, para apresentar nossas propostas. Precisamos trabalhar as oportunidades que o povo precisa", finalizou.
Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com 

PTC formaliza apoio a Zé Filho mas lideranças divergem

convencaoptc3.jpg
convencaoptc2.JPG
convencaoptc.jpg



Fotos: Evelin Santos/CidadeVerde.com
O PTC realiza sua convenção, na manhã desta segunda-feira (30), no Plenarinho da Assembleia Legislativa. A legenda formalizou o seu apoio ao candidato à reeleição, governador Zé Filho, embora ainda haja divergência entre as lideranças. Até o momento, foram confirmados 13 da sigla nomes para deputado estadual e seis para deputado federal. A coligação com mais quatro partidos deve ter 40 nomes disputando vagas nas Casas Legislativos. 
Entre os nomes que irão concorrer à Assembleia Legislativa estão Evaldo Gomes, o ex-deputado Dr. Pinto, Dr. Hélio, Fernanda Lobo e a presidente do Sinte, Odeni Silva. 
“Temos a nossa luta reconhecida em torno da educação e precisamos de mais representatividade, principalmente na Alepi, onde são apenas cinco mulheres, num total de trinta deputados. Precisamos lutar para diminuir essa diferença”, declarou Odeni. Ela afirma ainda que não irá apoiar Zé Filho. “Dentro da atual circunstância, todos estão livres para escolher seus candidatos. O povo é livre, independente da sigla”, acrescentou. 
Para a Câmara Federal, os seis nomes são Toim do Frango, Valcir Vieira, Thiyla, Newton, Rhutênio e Ricardo Santos. 
Na coligação proporcional, o PTC se une ao PSDC, PPN, PT do B e DEM. Ao todo, o grupo de partidos deve ter 40 candidatos a deputado federal e estadual.
O vereador Edvan Silva, entretanto, minimizou a declaração da sindicalista e disse que não há disparidades dentro do partido ou da coligação. “Estamos todos unidos para marchar junto e reeleger Zé Filho. Vamos continuar com a Fundac e outros cargos serão decididos após a eleição”, disse.

Flash de Jordana Cury
Redação Carlos Lustosa Filho

Campos critica Mais Médicos, mas descarta acabar com o programa Pré-candidato do PSB classificou a iniciativa federal de 'marketing político'. Ex-governador de PE disse que irá fazer auditoria no programa se for eleito.

Filipe MatosoDo G1, em Brasília

Eduardo Campos participou de palestra em faculdade de São Paulo (Foto: Tatiana Santiago)Eduardo Campos participou de palestra em
faculdade de São Paulo (Foto: Tatiana Santiago)
Em tom crítico ao programa federal Mais Médicos, o pré-candidato do PSB à Presidência da República e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, afirmou nesta terça-feira (6) que o Brasil não irá resolver os problemas da saúde pública "importando médicos" do exterior. O presidenciável, no entanto, descartou acabar com a iniciativa do governo Dilma Rousseff caso seja eleito.
"Não vamos responder aos problemas da saúde no Brasil importando médicos", disse Campos durante palestra sobre Desenvolvimento Sustentável na faculdade de medicina da USP, em São Paulo. "É preciso responder à saúde além do marketing político", ironizou o antigo aliado da gestão petista.
Ele prometeu à plateia de profissionais da saúde que, se vencer a eleição, pretende fazer uma auditoria no contrato firmado entre o Executivo federal com os profissionais estrangeiros. O pernambucano também ressaltou que quer pagar aos médicos cubanos o mesmo salário repassado aos demais profissionais que atuam no programa.
Não vamos responder aos problemas da saúde no Brasil importando médicos. (...) É preciso responder à saúde além do marketing político"
Eduardo Campos, pré-candidato do PSB à Presidência
Em fevereiro, depois de sofrer críticas pelo pagamento diferenciado aos profissionais de Cuba, o Ministério da Saúde anunciou um reajuste na bolsa paga aos médicos da ilha caribenha. Mesmo com o aumento de salário, os cubanos continuam ganhando menos do que os outros participantes da iniciativa federal.
Atualmente, os médicos de Cuba recebem mensalmente US$ 1.245 (cerca de R$ 2,9 mil), sem contar as despesas pagas pelas prefeituras com alimentação e hospedagem. O restante dos bolsistas do programa recebem R$ 10 mil por mês.
Apesar das críticas indiretas ao Mais Médicos, Campos advertiu que não pretende "devolver" os médicos do exterior que atuam no programa. O Mais Médicos é uma das principais bandeiras de Dilma para a eleição presidencial.
"Você não vai retirar médicos de comunidades que não têm outras alternativas. Nós vamos fazer um estudo de auditoria sobre o contrato e sobre o efeito da presença desses médicos. Nós precisamos é de formação médica no Brasil na quantidade suficiente e com qualidade para amanhã a gente não precisar importar, mas não vamos devolver", afirmou.
CPMF
Antigo defensor da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), Eduardo Campos mudou seu discurso com relação ao imposto que havia sido criado para subsidiar a saúde pública, extinto em 2008. Na palestra aos médicos da USP, o pré-candidato do PSB prometeu que não ira criar novos impostos se for eleito.
"Nós já assumimos o compromisso de que, no nosso governo, não vamos aumentar a carga tributária de impostos".

Ele admitiu que defendeu a prorrogação da CPMF, porém, alegou que o fez baseado "em circunstâncias próprias daquela época".

Defendido por Aécio Neves, Bolsa Família já foi taxado de Bolsa Esmola pelo PSDB

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo 

Ao defender o programa social de Lula, tucanos vivem a mesma contradição que o PT na década de 1990, quando precisou admitir que o Plano Real era bom para o Brasil


No passado, uma “bolsa esmola” que “estimula a preguiça”. Hoje unanimidade entre os pré-candidatos à Presidência da República. O sucesso e o alcance eleitoral do programa Bolsa Família – presente em 14 milhões de lares – não só são defendidos e disputados pelo PSDB, que reivindica parte da autoria do projeto, como agora o partido também advoga um reajuste ainda maior que os 10% anunciados pela presidente Dilma Rousseff em tom de campanha antecipada durante pronunciamento à nação no dia 1º de Maio.
Ricardo Galhardo/iG São Paulo
Uma das beneficiárias do Bolsa Família em Itinga, no Maranhão: 14 milhões de beneficiários
Considerado por tucanos o embrião do Bolsa Família, o Bolsa Escola foi implantado em 2001, penúltimo ano de mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). No ano seguinte, outros projetos foram lançados, como o Auxílio Gás e o Cartão Alimentação, administrados por diferentes ministérios. Faltando quatro meses para a eleição presidencial, FHC anunciou o Cartão Cidadão, unificando todos os programas de transferência de renda por meio de um cartão magnético que pretendia pular de 1,7 milhão para 9,3 milhões o número de famílias beneficiadas.
Ainda pouco conhecidos da população e mal defendidos no programa eleitoral do então candidato tucano José Serra, os projetos sociais do PSDB acabaram eclipsados pela promessa do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva de acabar com a fome no Brasil em quatro anos. Primeiro foi o Fome Zero, que desidratado terminou substituído pelo Bolsa Família. “É um exagero dizer que o Bolsa Família é a continuação dos programas do FHC”, acredita o professor de filosofia política na USP, Renato Janine Ribeiro. “O estalo foi do Lula, que colocou o fim da miséria como prioridade nacional. Esse foco não havia no governo anterior. Tanto é que, ao ir para a oposição, o PSDB chamou o programa de assistencialista.”
Intitulado de “Bolsa Esmola”, o site nacional do PSDB publicou um editorial em setembro de 2004 afirmando que o programa petista tinha “eficácia social bastante questionável”. “O risco é que, ao fim do mandato petista, boa parte [dos beneficiados] continue à espera da esmola presidencial.”
Em discurso no plenário em junho de 2006, o então senador e hoje prefeito de Manaus Arthur Virgílio listou 14 “mentiras de Lula”. Ao se referir ao Bolsa Família, disse que o programa “limitou-se a distribuir dinheiro a fundo perdido, sem nenhuma exigência de contrapartida educacional, sem nada, quase que uma esmola eleitoreira.”
Divulgação/DEM
Entrega de cartão magnético à mulher foi criação do Bolsa Escola
Já em 2011, foi a vez do senador Álvaro Dias (PR) dizer em um programa de TV que “o Bolsa Família não tira ninguém da miséria”: “Mantém na miséria porque estimula a preguiça. Inclusive, há gente que não quer trabalhar porque não quer ter carteira assinada e perder o benefício”, disse o tucano. Vice-líder do PSDB na Câmara, o deputado federal Antonio Carlos de Mendes Thame (SP) afirma que essa jamais foi a opinião oficial do partido. “Nunca fomos contrários. Ao invés disso, nós apresentamos diversas emendas para aperfeiçoar o programa. Sempre fizemos uma oposição construtiva, e isso inclui o Bolsa Família.”
Thame garante que o programa não apenas nasceu no berço do PSDB como afirma que a ideia de confiar o cartão magnético à mulher saiu do Bolsa Escola. “Os homens foram embora de casa e agora 40% das famílias no Brasil são dirigidas pelas mulheres. Nas classes D e E, essa porcentagem chega a 50%”, diz ele. “Mais do que nunca, falar em políticas sociais é pensar na mulher, e isso foi feito pelo Fernando Henrique com o Bolsa Escola.”
De acordo com o professor da USP, a atual adesão em massa do tucanato ao projeto é um retorno do partido ao legado de Fenando Henrique, cujas ideias inspirariam Aécio Neves, ele próprio autor de um projeto de lei – protocolado no dia em que o Bolsa Família completou dez anos – que incorpora o programa à Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), garantindo sua manutenção com recursos do Fundo Nacional de Assistência Social. “A intenção do Aécio é que essa lei transforme o projeto em uma política de Estado e não de um partido político”, defende o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy. "Quando o Aécio fala em aprimoramento do programa, ele quer propor um porta de saída para a família, uma vez que o PT o transformou em um instrumento de subserviência, subjugando e diminuindo a dimensão do ser humano."
O PT, acusado de barrar a votação do projeto, se diz favorável a ele, embora ache que a ideia de Aécio é pegar carona na popularidade do Bolsa Família. “Nós vamos aprovar essa lei, sempre defendemos isso”, afirma o vice-líder do PT na Câmara, deputado Artur Bruno (CE). “Mas vai parecer muito estranho à população, que vai perceber essa falsidade de argumento do PSDB.”
Bolsa Família: O Plano Real petista?
Hoje em R$ 1,7 bilhão, o gasto anual com o Bolsa Família chegará a R$ 2,7 bilhões em 2015 com o reajuste concedido pela presidente no começo do mês, que elevou de R$ 70 para R$ 77 o valor mínimo recebido pelos beneficiários. Assim que o anúncio foi feito, Aécio Neves foi a público dizer que o valor deveria ter sido reajustado para R$ 83.
Se o aumento fosse feito de acordo com o cálculo do tucano, a despesa com o programa em 2015 chegaria a R$ 5 bilhões. A cifra seria ainda maior se a proposta do também pré-candidato à presidência Eduardo Campos (PSB) fosse aceita. Também crítico ao aumento anunciado por Dilma, o ex-aliado petista pediu 19,6% de reajuste, o que dispararia os gastos para R$ 5,1 bilhões no ano que vem.
Janine Ribeiro acredita que o PSDB vive a mesma contradição que o PT na década de 1990, quando precisou admitir que o Plano Real era bom. “O PT era muito crítico ao plano, mas, ao acabar com a inflação e se consolidar, a legenda precisou aderir”, afirma. “Agora é o Bolsa Família que se impôs e, dez anos depois, é muito difícil ser contrário a ele seja quem for o candidato à Presidência.”