FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

domingo, 14 de maio de 2017

Dilma pode ser presa no dia da morte de soldado que ela matou

Dilma pode ser presa no dia da morte de soldado que ela matou
Mônica Moura, mulher do marqueteiro de campanhas do PT João Santana, entregou à Procuradoria-Geral da República em seu acordo de delação premiada, uma Ata Notarial que registrou ‘emaildilma’. 
Segundo a delatora, foi Dilma quem escreveu por meio do e-mail secreto ‘Iolanda2606@gmail.com’: “Seu grande amigo está muito doente, os médicos consideram que o risco é máximo e o pior é que a esposa dele, que sempre tratou dele, agora também está doente com o mesmo risco. Os médicos acompanham dia e noite.’
“O médico era o Zé Eduardo (José Eduardo Cardozo, então ministro da Justiça)”, afirma Monica. A mensagem é uma prova de obstrução a justiça. 
O general Heleno fez uma brilhante observação sobre o endereço de e-mail utilizado por Dilma:
"Iolanda era o nome da mulher do presidente Artur da Costa e Silva e 2606 a data, 26 de Junho, do atentado terrorista ao então II EXÉRCITO em SP, que resultou no cruel assassinato do Soldado Mário Kozel Filho com 18 anos de idade."
 Se a Lava Jato trabalhar direitinho, Dilma pode ter a prisão decretada mesmo dia do atentado que matou o soldado Kozel. 
Seria a cereja do bolo da justiça.
Postar um comentário