FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Fisiculturista morre em hospital de MS após passar mal em casa Francislaine Aretusa de Souza foi encontrada desacordada. Família aguarda o resultado da necropsia para entender causa da morte.

A fisiculturista Francislaine Aretusa de Souza, de 40 anos, morreu na tarde de domingo (28) na Santa Casa de Campo Grande (MS) após depois de passar mal em casa.
O corpo foi levado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (IMOL) e deve ser liberado no início da tarde desta segunda-feira (29). A família aguarda o resultado da necropsia para saber a causa da morte.
Além de fisiculturista, Franscilaine era fisioterapeuta e educadora física. O irmão dela, Jeferson Fabrício de Souza, contou ao G1 que na tarde de domingo a irmã passeou com o filho e voltou para casa sem se queixar de nenhum problema de saúde.
Pouco tempo depois de chegar em casa, Franscilaine foi encontrada pela mãe dela no quarto, já desacordada. A família ficou desesperada, não quis esperar pelo Corpo de Bombeiros e seguiu em um carro para a Santa Casa.
Souza afirmou que a irmã fazia autoaplicação de carboxiterapia, tratamento que melhora a oxigenação da pele e estimula a produção de colágeno e elastina, por meio de injeção subcutânea de gás carbônico sob a pele. Ele desconfia que o tratamento pode ter alguma relação com a morte.
“Minha mãe está muito mal, está arrasada, todos nós estamos. Estamos esperando o resultado do exame, da perícia, para saber o que aconteceu, se a morte tem alguma ligação com o carboxi. Ela não tinha problemas de saúde, não usava substâncias proibidas”, desabafa Souza.
De acordo com os parentes, Francislaine chegou ao hospital com parada cardiorespiratória e sem pulso. Foram feitas manobras de ressuscitação por aproximadamente 30 minutos e foi feito o uso de adrenalina, mas ela não resistiu.
O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro como morte a esclarecer.
Postar um comentário