FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

terça-feira, 30 de maio de 2017

Jovem que lutava contra síndrome rara e retirou mais de 20 tumores morre em Jaú Luta de Mayara Gromboni contra a síndrome de Li-Fraumeni começou aos sete anos de idade.

A estudante de 21 anos que lutava desde os 7 anos contra uma síndrome rara que faz com que tumores se espalhem pelo corpo morreu no começo da noite desta segunda-feira (29) em Jaú (SP) em decorrência de complicações da doença. O velório é realizado no Luto Paulista e o enterro será às 16 horas desta terça-feira (30), no cemitério municipal Ana Rosa de Paula.
Desde 2015, o G1 acompanhava a história da Mayara Gromboni, que devido à síndrome de Li-Fraumeni teve que retirar 27 tumores. Na época ela já havia retirado 23 tumores e fazia um tratamento para tentar eliminar outros quatro que apareceram em um dos braços.
Ela fez até uma campanha nas redes sociais para conseguir o tratamento, no entanto, a quimioterapia localizada não surtiu o efeito esperado e ela teve que amputar parte do braço em junho de 2016.
Desde março deste ano a jovem fazia uma campanha em busca de doadores de sangue para controlar a taxa de hemoglobina no sangue.
Mayara fazia tratamento contra uma síndrome rara  (Foto: Mayara Gromboni/ Arquivo pessoal )
Mayara fazia tratamento contra uma síndrome rara (Foto: Mayara Gromboni/ Arquivo pessoal )

Luta da família

A luta constante pela vida de Mayara começou aos sete anos de idade. Durante todo o tratamento, ela retirou 27 tumores. Aos 19 anos fez quimioterapia localizada, mas não surtiu o efeito esperado e ela teve que amputar parte do braço.
Apesar da doença, ela estava sempre sorrindo. Em uma entrevista ao G1, Mayara deixou uma mensagem de esperança e da forma como via o mundo.
“O sorriso move mundos. E eu sou apaixonada por sorrisos, então dificilmente você vai me ver sem estar sorrindo”, afirmou Mayara.
Postar um comentário