FumanchúWebRádio

fan page

domingo, 28 de maio de 2017

Polícia acredita que músico do Swing e Simpatia tenha sido executado

José Nicolau, de 44 anos, mais conhecido como Gu, era integrante do Swing Simpatia
Ricardo Rigel
O delegado responsável pela investigação da morte do músico do grupo Swing Simpatia acredita que a principal linha de investigação do caso seja execução. Segundo Leandro Teixeira da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), a perícia conseguiu identificar 11 perfurações pelo corpo do surdista da banda, José Nicolau, de 44 anos, mais conhecido como Gu. As primeiras informações dão conta que os autores do crime estavam em um carro grande e preto:
— Já ouvimos familiares e amigos do músico. Agora, nossas equipes estão na rua tentando reunir maiores informações — diz Teixeira.
Ainda de acordo com o delegado, a perícia identificou 11 lesões no corpo do cantor. E que a linha de investigação mais provável é que ele tenha sido executado:
— Nas redes sociais estão surgindo algumas versões sobre o caso, mas tudo ainda está sendo apurado.

Gu é o integrante careca,de camisa preta e de óculos, no canto esquerdo.
Gu é o integrante careca,de camisa preta e de óculos, no canto esquerdo. Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo

O produtor da banda, Leonardo Melo, conta que o Gu Nicolau havia passado no bar e que logo depois iria para Bonsucesso, onde se apresentaria junto com o grupo em uma casa de shows.
— Foi a pior surpresa que poderíamos receber. Ele estava tranquilo. E disse que passaria em seu bar, como sempre fazia, e que depois se encontraria com o restante do grupo já na casa de shows. Mas o pior aconteceu. Estamos arrasados com tudo isso — conta Melo: — O que nos deixa ainda mais chateados é que o Gu era uma pessoa muito querida. Só tinha amigos no meio do samba. Estamos muito triste com tudo isso.
O enterro do arista está programado para este domingo às 11h, no Cemitério Municipal de Nova Iguaçu. O velório será feito na capela do cemitério e está marcado para começar às 9h.
O sambista Dudu Nobre lamentou a morte do amigo e disse que o mundo do samba amanheceu de luto:
— Estou arrasado com essa notícia. O Gu sempre foi um camarada muito tranquilo e de bem com a vida. Era uma grande pessoa e um excelente músico. Ele acabou sendo vitimado por essa violência desenfreada que tomou conta do no nosso estado — lamenta o sambista.
Ainda de acordo com Dudu, a amizade com o surdista do Swing Simpatia começou na época em que eles faziam parte da banda do cantor e compositor Dicró:
— Tínhamos uma relação de amizade muito bacana. O Gu sempre foi muito querido no mundo do samba. A gente sempre se encontrava nos shows.

Rastro de sangue na porta de estabelecimento onde pagodeiro foi morto
Rastro de sangue na porta de estabelecimento onde pagodeiro foi morto Foto: Pedro Teixeira / Agência O Globo

O caso
De acordo com informações de testemunhas, Gu estava em em frente a seu bar, na Rua Paulo, na Vila Emil, em Mesquita, na Baixada Fluminense, no momento em que foi surpreendido por um veículo que passou pelo local. Na ação, um ocupante do automóvel teria desembarcado e efetuado os disparos. O criminoso fugiu em seguida. O pagodeiro não resistiu aos ferimentos e morreu na entrada do bar.
Ainda segundo os relatos, o crime ocorreu por volta das 22h. Havia clientes no estabelecimento do artista. Durante a madrugada deste sábado, ainda havia vestígios do crime que ocorrera horas antes: rastros de sangue estavam espalhados pelo chão, na calçada, além de marcas nas paredes que seriam oriundas de disparos
Postar um comentário