O Globo noticiou ontem que Temer deu aval ao pagamento feito para silenciar Eduardo Cunha. 
Porém, o presidente fez algo muito pior. 
Joesley Batista revelou que tinha um procurador infiltrado na Lava Jato. Temer escutou passivamente, como se fizesse parte do crime. 
Como presidente da República, Temer deveria ter dado voz de prisão ao empresário. 
Isso é muito mais grave que o aval ao pagamento em si.