FumanchúWebRádio

fan page

domingo, 11 de junho de 2017

Acusado de ‘espionagem’ por Cristiano Zanin, Moro reage e desafia advogado

Jornal da Cidade On Line
Cristiano Zanin se colocou numa situação vexatória, em função de sua conduta aética e até criminosa na condução dos processos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele mentiu de maneira escancarada e foi desmascarado pelo juiz Sérgio Moro.

Na tentativa de tirar proveito processual num determinado processo contra o seu cliente mais famoso, ingressou com um habeas corpus e mentiu para o relator do processo no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o desembargador João Pedro Gebran Neto.

O defensor do ex-presidente Lula disse que teria sido surpreendido com a inclusão de vídeos da delação da Odebrecht nos autos, sem que ele tivesse tempo hábil para analisar. Zanin informou no recurso que só ficou sabendo dos tais vídeos há poucas horas da audiência realizada na segunda-feira (5).

Desmascarado, alegou que estaria sendo ‘espionado’ pelo magistrado.

‘Uma clara tentativa de intimidar os advogados mediante interceptação de dados de navegação de um escritório de advocacia’, disse Zanin.

A reação de Sérgio Moro foi instantânea:

“Esclareça-se, apenas diante dos termos da nota emitida pelo defensor do sr. Luiz Inácio Lula da Silva, que não houve qualquer ‘espionagem’ a escritório de advocacia, mas mera verificação dos acessos ao processo eletrônico da Justiça Federal”, assinalou Moro.

O juiz ainda lançou um desafio ao advogado: ‘Cabe somente ao advogado esclarecer ao Tribunal Regional Federal da 4.ª Região o motivo de ter afirmado que não teria tido acesso aos depoimentos das testemunhas antes do dia 5 de junho, quando o sistema eletrônico registra acessos dele em 31 de maio e 1.º de junho’.

Veja a verificação dos acessos ao processo eletrônico, que flagraram o advogado na mentira: REGISTRO DE ACESSOS DA JUSTIÇA FEDERAL.

da Redação
Postar um comentário