FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

domingo, 25 de junho de 2017

Deputados que analisarão denúncia contra Temer são citados em delações Dos 66 integrantes da CCJ, 14 deles foram alvo de delatores da Odebrecht e da JBS

Antes de ter prosseguimento no Supremo Tribunal Federal (STF), a possível denúncia contra o presidente Michel Temer, por corrupção passiva, passará pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que dará o aval, ou não, para que o processo seja votado no plenário da Câmara dos Deputados.

O colegiado tem 66 integrantes, sendo que 14 deles foram citados nas delações da Odebrecht e da JBS como envolvidos em esquemas de corrupção, durante as investigações da operação Lava Jato.
Destes, segundo informações da Folha de S. Paulo, dois tiveram seus casos arquivados: Esperidião Amin (PP-SC) e Paulo Maluf (PP-SP).
Um dos nomes cotados para assumir a relatoria da CCJ, o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) é suspeito receber R$ 200 mil em espécie na disputa eleitoral de 2014, de acordo com o diretor da JBS Ricardo Saud. Para piorar, parte da campanha dele, no mesmo ano, foi financiada pelo próprio Temer.
Ele nega ter recebido dinheiro da empresa dos irmãos Batista e diz "não se tratar de propina" o valor que recebeu do presidente.
Além dele, Lelo Coimbra (PMDB-ES) e Jones Martins (PMDB-RS) também receberam dinheiro de Temer, R$ 100 mil cada, e Darcísio Perondi (PMDB-RS), que embolsou R$ 50 mil.
Entre os investigados estão os deputados Daniel Vilela (PMDB-GO), José Carlos Aleluia (DEM-BA), Marco Maia (PT-RS), Maria do Rosário (PT-RS), Jutahy Júnior (PSDB-BA) e Betinho Gomes (PSDB-PE). Todos negam irregularidades.
Os demais deputados foram citados, mas não são investigados ou ainda aguardam manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR).
Postar um comentário