Michel Temer escolheu nesta quarta-feira (28) a procuradora Raquel Dodge para o comando da Procuradoria Geral da República, em substituição ao atual procurador-geral, Rodrigo Janot. A procuradora era a sugerida por pessoas próximas ao presidente, como Gilmar Mendes e José Sarney.
O nome de Raquel Dodge foi anunciado pelo porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, em pronunciamento no Palácio do Planalto que durou 22 segundos (leia o perfil da procuradora ao final desta reportagem).
"O presidente da República escolheu na noite de hoje a subprocuradora-geral da República, dra. Raquel Elias Dodge para o cargo de procuradora-geral da República. A dra. Raquel Dodge é a primeira mulher a ser nomeada para a Procuradoria Geral da República", afirmou Parola no pronunciamento.
Raquel foi a segunda mais votada na lista tríplice enviada a Temer pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). 
Com a indicação, Raquel Dodge será submetida a sabatina no Senado e precisará ter a indicação aprovada pelos senadores antes de ser oficializada no cargo. Caso seja aprovada, ela tomará posse em setembro, no lugar de Janot.
Raquel já se desentendeu com Rodrigo Janot. Ela irritou o PGR por causa do projeto que limitava o número de procuradores cedidos a outras unidades do Ministério Público envolvidas em investigações especiais, caso da Lava Jato.
Confira a discussão abaixo: