A PF concluiu que o áudio da conversa gravada pelo empresário Joesley Batista com o presidente Michel Temer, em 7 de março no Palácio do Jaburu, não foi editado ou adulterado. 
O laudo sobre a gravação aponta para mais de 100 interrupções, mas que nenhuma delas foi causada por agente externo ou realizada posteriormente à gravação.
O perito ainda informou que foi possível até melhorar a qualidade de alguns trechos inaudíveis da gravação, como PapoTV já havia adiantado a informação.