FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

quinta-feira, 22 de junho de 2017

"Vacina não é coisa só de menina", alerta Amariles Borba

O público-alvo da vacinação conta o papiloma vírus humano, mais conhecido como HPV, foi ampliado. A partir de hoje (22), meninos de 11 a 14 anos (até 11 meses e 29 dias) também poderão receber imunização.  Anteriormente, a faixa etária para os meninos era apenas de 12 e 13 anos. A meta é que a vacinação chegue a 113 mil meninos e 213 mil meninas
"Os meninos não querem se vacinar porquê dizem que isso é coisa de mulher. Não é não, isso é uma coisa muito errada, a vacina é para todos nós. Há se todos pudessem tomar a vacina seria maravilhoso", alertou a médica Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.
 A imunização também foi estendida para pacientes transplantados e com câncer, que estejam passando por tratamento de quimioterapia ou radioterapia, bem como para portadores de HIV, na faixa etária de 9 a 26 anos. A vacinação é indicada devido ao maior risco de desenvolver infecções decorrentes do HPV, por conta da baixa imunidade em que esses grupos se encontram.  
As meninas continuam com direito a imunização na faixa etária de 9 a 14 anos, mas as que já completaram 15 anos de idade, e tomaram apenas a primeira dose, agora podem tomar a segunda dose da vacina.
"Nós estamos evitando sofrimentos futuros. Há trabalhos científicos que mostram que o benefício é muito maior para quem não teve a iniciação da prática sexual, mas isso é pra você conseguir prevenir a pessoa. O importante é previnir", completa a médica.
A ampliação do público-alvo se fez necessária por conta da baixa cobertura vacinal contra o HPV em todo o Brasil. “Há uma dificuldade dos adolescentes em procurar os postos de saúde. As vacinações na faixa etária de adolescentes geralmente tem coberturas baixas, eles não se sentem na obrigação de cuidar da saúde. Inclusive, essa baixa adesão é registrada também em outros países”, explica Lourdes Helena, supervisora da Rede de Frios Estadual. "A vacina é para proteger problemas futuros. Um câncer pode ser multilante, então tome a vacina", acrescentou.
A vacinação contra HPV não é campanha, as doses estão disponíveis nos postos de vacinação durante todo o ano. A meta da Secretaria de Estado da Saúde é atingir 80% de cobertura vacinal em todo o Piauí.
O esquema de vacinação é o mesmo para meninas e meninos, bem como para pacientes transplantados e com câncer, a imunização é feita em duas doses, com intervalo de seis meses. Já para portadores de HIV são três doses, com intervalo de dois meses, entre a primeira e a segunda e de seis meses para a terceira. A supervisora também chama a atenção para a elevada taxa de abandono na segunda dose da vacinação, representando uma queda de aproximadamente 50% em relação à primeira, deixando ainda uma janela aberta para manifestação do vírus.
O Piauí possui atualmente 34.390 doses da vacina contra o HPV em estoque que irão vencer em março de 2018, “temos que conscientizar esses adolescentes a se imunizarem, não podemos perder essas doses, isso ocorre devido à baixa adesão da população, principalmente entre meninos”, declara Lourdes Helena.
“Por serem os responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras, ao receberem a vacina, os meninos estarão colaborando com a redução da incidência do câncer do colo do útero e da vulva, que infelizmente vem crescendo e vitimando as mulheres. A vacina tem como objetivo prevenir contra câncer e aparecimento de verrugas nos órgãos genitais, tanto masculinos como femininos”, explica Kássia Barros, coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde.
Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Postar um comentário