FumanchúWebRádio

fan page

sábado, 8 de julho de 2017

Mãe se amarra a filho por 3 dias para que ele não use crack Adolescente estava sendo ameaçado por vizinhos da avó, em Itapetininga

Era uma casa sem porta dos fundos, fiação elétrica, televisão, rádio, talheres. A residência humilde foi alvo do saque de um dos próprios residentes: um do adolescente de 17 anos que roubava tudo que a avó comprava para vender e comprar crack. Desesperada, a mãe do menino, que mora no interior do Mato Grosso do Sul com outros três filhos e o marido, voltou para Itapetininga (SP) e se amarrou a ele com uma corrente. Por três dias.

A atitude drástica foi tomada quando a mulher, que tem 35 anos e não foi identificada para preservar o adolescente, recebeu ameaças de vizinhos "na porta de casa". O jovem também costumava roubá-los. "Xingaram a mim, a minha mãe e ameaçaram bater nele, então, antes de vê-lo estendido no chão da rua, resolvi fazer isso". O resultado foi a internação do jovem menino em uma clínica de Bady Bassitt , região de São José do Rio Preto (SP).
Conforme a assessoria do local informou, ao G1, que o interno agora passa por exames e está sendo medicado no tratamento para superar o vício, que começou aos 11 anos. "Ele começou com maconha, passou por todas as drogas e parou no craque", lembra. A mulher conta que "fez de tudo", antes de amarrá-lo. "Procurei a polícia, procurei o Caps, mas ele não melhorou. Não adiantou. Melhor acorrentar do que ver ele morto. Eu faria de novo se fosse preciso”, declara.
O tratamento do adolescente será gratuito. "Eu tinha fé que ia conseguir. Eu falei para meu esposo que ia voltar só quando alguma coisa fosse feita. Ele concordou e me ajudou. Foi triste vê-lo indo para a clínica. Ele estava bravo comigo, mas eu espero que volte recuperado. Eu vou até o fim para lutar pelo meu filho, porque é triste demais ver ele desse jeito. Ele vai ser curado, tenho fé. Um dia ele vai parar”, finaliza.
Postar um comentário