FumanchúWebRádio

fan page

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Petrobras reduz preço da gasolina pela 2ª vez em menos de uma semana Redução é de 2% nas refinarias. Novo preço entra em vigor nesta terça-feira (11/7)

metrópoles
Rafaela Felicciano/ Metrópoles
A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (10/7) nova redução nos preços dos combustíveis nas refinarias. O da gasolina vai diminuir 2%. Já o do diesel, cairá 1,7%. A mudança no valor, a terceira seguida anunciada pela estatal, começa a valer nesta terça (11).
Nos postos de combustível, a decisão de repasse dos preços ao consumidor ficará a cargo dos comerciantes.
último anúncio de preços ocorreu na sexta-feira (7), quando a Petrobras cortou o preço da gasolina em 0,7% e o do diesel em 0,2%.
A nova política de revisão de preços da Petrobras começou no último dia 30. Desde então, a estatal reajustou os valores seis vezes. Apenas em uma delas, para cima, no dia 4, em 1,8% e 2,7%, para a gasolina e o diesel, respectivamente.
DF
Os postos de combustível do Distrito Federal adotaram estratégias diferentes após o reajuste de 1,8%. Enquanto alguns estabelecimentos mantiveram o preço em R$ 3,05, outros estão cobrando até R$ 3,89, uma diferença de 27,5%. O Metrópoles percorreu Plano Piloto, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Guará, Núcleo Bandeirante e Taguatinga para ver o comportamento das bombas.
O consumidor que pesquisar poderá economizar R$ 42 para abastecer um tanque de 50 litros, por exemplo. E, para isso, não precisará andar muito. Tamanha variação no preço da gasolina é uma realidade relativamente nova para o brasiliense. Em dezembro de 2015, a Operação Dubai colocou um ponto final no cartel praticado pelos empresários do setor.
Revisão de preços
Com a nova política, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. A estatal perdeu participação de mercado no primeiro semestre, por conta de competidores, que estavam trazendo combustíveis mais baratos do exterior, aproveitando o momento de recuperação de margens, adotado pela estatal.
Com isso, as refinarias da Petrobras estavam trabalhando com menores patamares de utilização da capacidade, o que significa que o custo de produção de cada litro estava saindo mais caro para a companhia.
Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais. (Com informações da Agência Estado)
Postar um comentário