FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Mãe e filho são presos na Operação Fantasma e têm contas bloqueadas Ao todo, nove pessoas foram presas, também foram apreendidos três carros e bloqueados aproximadamente R$157.000,00 (cento e cinquenta e sete mil reais) em dinheiro da conta dos alvos.

VIAGORA

A organização criminosa instalada em Campo Maior que sonegava impostos e desviava dinheiro do Fisco, era comandada por mãe e filhos, de acordo com a Polícia Civil. Na manhã de hoje (02) a família e mais cinco pessoas foram presas durante a Operação Fantasma.
  • Foto: DivulgaçãoFamília é presa por esquema de fraude fiscal na Operação FantasmaFamília é presa por esquema de fraude fiscal na Operação Fantasma
Ao todo, nove pessoas foram presas, também foram apreendidos três carros e bloqueados aproximadamente R$157.000,00 (cento e cinquenta e sete mil reais) em dinheiro da conta dos alvos.
De acordo com o delegado João José, o JJ, coordenador da Delegacia Especializada de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deccortec), a polícia ainda está fazendo o levantamento do patrimônio da família, para que os bens sejam confiscados e levados a leilão. Mas segundo JJ, a maioria dos bens dos irmãos estão em nome de terceiros.
Os empresários Mirtdams Júnior, Willams, João Canuto Neto eram os líderes do esquema, a mãe, Vera Lúcia Leite, é “responsável” pela maior devedora do fisco estadual, o “CERALISTA MELO”. O contador Francisco Nilton Barros era o operador do esquema.
  • Foto: Divulgação/MP-PILaranjas identificados no esquemaLaranjas identificados no esquema
Foram presos também: Deodato R. de S. Neto, que é motorista e possuía 14 empresas em seu nome; Jailton Barros, que tinha 13 empresas em seu nome; Gilmara Vieira tem 23 empresas; Antônia Sandra Silva, tem 7 empresas. Todos eles são apontados como laranjas e sabiam do esquema.
O delegado JJ afirmou que a família de criminosos levava uma vida luxuosa. “Eles vivem na Europa, vivem na América Central, vivem na América do Norte. Eles vivem esnobando uma vida de luxúria, porque tem dinheiro sobrando por não terem tributo pago na conta do estado. Só pra ter ideia, a mulher de um dos irmãos chega em uma loja e compra logo 10 mil reais de mercadoria, e a cidade de Campo Maior sabe o quanto esses caras esnobavam riquezas sem terem condições,” pontuou o delegado.
Há ainda outros laranjas, que não sabiam dos crimes, estes foram identificados como Francisco Agno, Luana Camelo, Sabrina, Gleiciane, Janayra, Maria dos Humildes.
Postar um comentário