FumanchúWebRádio

fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

PM é morto a tiros em Padre Miguel durante retorno do aniversário da mulher

O que era para ser uma noite de celebração acabou ganhando contornos trágicos em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O cabo da Polícia Militar Silvio César Lopes da Silva, de 39 anos, foi morto a tiros disparados por criminosos, no momento em que, acompanhado da mulher, retornava da comemoração do aniversário dela. 
O PM foi atingido na cabeça. O crime aconteceu por volta das 23h30m desta quarta-feira (9), na Rua Vila Nova. Com mais este caso, aumenta uma estatística violenta: sobe para 95 o número de policiais militares mortos no estado do Rio apenas neste ano.
De acordo com policiais militares, quatro bandidos armados teriam abordado o veículo onde estava o carro e anunciado o assalto, próximo à casa do PM. Em seguida, tiros foram disparados no local. 
Os integrantes do bando, que também estavam em um automóvel, fugiram em seguida. Ainda não há detalhes da ação: se o policial reagiu ou não à investida dos bandidos, por exemplo. Nenhuma arma foi encontrada com o cabo.
Ferido, ele foi socorrido pela própria mulher e também por outros moradores da região e levado para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, também na Zona Oeste, ainda segundo informou a PM. Silvio, que era lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE), não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade.
Durante a madrugada desta quinta-feira, familiares do cabo estiveram nno hospital, assim como colegas de farda. A mulher da vítima estava bastante abalada.
O subtenente do BPVE Magno Luiz da Silva descreveu o cabo Silvio, com quem já trabalhou, como um "excelente companheiro". Ele esteve na unidade hospitalar em Realengo.
— Um dos melhores homens da Polícia Militar, um excelente companheiro. Tenho acompanhado nos grupos de WhatsApp, todo mundo lamentando, chateado e muito tristes. Um excelente profissional. Não foi só a família dele que perdeu, mas também a PM e a sociedade. A mulher dele está muito abalada. Uma cena muito triste. — disse o subtenente, que acrescentou:
— Era um policial que vestia a farda pela população. Já passou da hora de cada um pensar nessa sociedade em que vivemos. O tipo de guerra que nós enfrentamos, talvez não aconteça em um país em que haja guerra. Somos nós que enfrentamos isso. Precisamos do apoio da sociedade, da mídia e do judiciário, assim como (dos poderes) legislativo e executivo.
Pelas redes sociais, internautas lamentaram o episódio e reclamaram da violência. " Meu Deus, isso nunca vai acabar? Está difícil viver aqui no Rio. Que Deus conforte o coração de familiares e de amigos (do policial) e nos proteja", escreveu uma mulher no Facebook. "Mais um policial morto. Até quando isso vai continuar? Essa bandidagem está acabando com o nosso Rio de Janeiro", postou outra, na mesma rede social.
O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH).
PM morto a tiros em Realengo
Em Realengo, bairro vizinho de onde o cabo Silvio foi assassinado, outro policial foi morto na noite da última sexta-feira. Na ocasião, o sargento Márcio Thomé Ribeiro, lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), foi morto a tiros disparados por criminosos na Rua Bernado Vasconcelos, próximo a um dos acessos para a comunidade Vila Vintém. À época, um jovem que estava no carro junto com o sargento também foi atingido e não resistiu. A DH investiga o caso.
Na tarde do último sábado, o sargento Anderson Dias Pereira do Batalhão de Ações com Cães (BAC) também não resistiu aos ferimentos. Ele, que participava da segunda fase da operação de segurança no Rio, sofreu um acidente na Rua José Domingues, no bairro do Encantado, na Zona Norte. Na ocasião, um ônibus municipal atingiu um carro do BAC, que estava em deslocamento para levar dois criminosos para a Cidade Polícia, no Jacaré.
Fonte: Extra
Postar um comentário