fan page

Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

sábado, 30 de junho de 2018

Boulos detona Lula. Após escândalo da extorsão de sem-tetos em prédios invadidos, líder do MTST apela para ver se consegue decolar sua campanha à Presidência

Imprensa Viva

O pré-candidato à Presidência da República Guilherme Boulos (PSOL), resolveu apelar para outro discurso, após ter sua imagem abalada pelos escândalos envolvendo a extorsão de sem-teto em invasões de prédios em São Paulo. Após a tragédia do desabamento do edifício Edifício Wilton Paes de Almeida, que deixou pelo menos 8 vítimas fatais, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem teto (MTST), adotou outra estratégia política para ver se consegue decolar sua campanha à Presidência.

Sem conseguir ultrapassar o teto de 1% de intenções de votos, Boulos se deu conta de que o fato de ter colado no ex-presidente Lula nos dias que antecederam a prisão do petista não lhe rendeu nada. Em sua participação no Debate da Super Manhã da Rádio Jornal nesta quarta-feira (16), Boulos desceu a lenha em Lula, criticando o ex-presidente petista por não ter feito as reformas política, tributária e agrária durante o tempo que comandou o País. O líder do MTSTS afirmou que Lula governou com as “raposas que sempre estiveram na estrutura do governo” desde do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), incluindo o senador Renan Calheiros (MDB-AL), hoje aliado do ex-presidente.

Boulos afirmou ainda que "Não se democratizou o Estado e a política e se governou com os mesmos de sempre” e que as “raposas” “estavam na sombra” nos governos do PT. Apesar de ressaltar a sua relação próxima de “admiração e respeito” e a defesa da candidatura do ex-presidente Lula, Boulos afirmou, que ele e Lula tem suas “diferenças também" e  que os governos do PT de Lula e Dilma fracassaram, afirmando que “não se enfrentou os privilégios” nos 13 anos que o PT esteve no Palácio do Planalto.

“Eu concordo que (Lula) fez um governo que teve melhorias sociais, como o Bolsa Família. Mas deixou de fazer enfrentamentos que precisam ser feitos”, disse o pré-candidato do PSOL, tentando alinhar o discurso com setores da extrema esquerda, que agora tenta se descolar da imagem de Lula.
Postar um comentário